TREINAMENTO

Canal Viva Bem


A policia especializada de Dallas, cuja doutrina é considerada a mais preparada do mundo, desembarcou em solo sergipano. Eles são policiais treinados para operações de alto risco. O grupo faz parte do Cati (Centro Avançado em Técnicas de Imobilização), uma organização de treinamento policial que já capacitou mais de 50 mil agentes no Brasil e nos Estados Unidos. O Centro conta com um corpo de profissionais gabaritados que detém conhecimento aprimorado e patenteado acerca de técnicas e táticas de imobilização.


A vinda dos instrutores da Swat norte-americana teve um propósito: o 1° Swat School do Nordeste, curso promovido pela Escola de Governo, numa parceria entre as secretarias de Estado da Administração (Sead) e da Segurança Pública (SSP), contemplando cerca de 120 servidores sergipanos.


Cem vagas foram oferecidas pela Escola de Administração Pública e Gestão Governamental (Esapgese) aos servidores da SSP interessados em participar do curso. Mais de vinte outros alunos vieram de outros estados pagando do próprio bolso para participar dos treinamentos que, com uma carga horária de 74 horas/aula, segue até o dia 14 de dezembro. Os treinamentos serão ministrados por especialistas da Swat Americana e do Batalhão de Operações Policiais Especiais da Polícia Militar do Rio de Janeiro (Bope) para capacitar os policiais sergipanos com conhecimentos e técnicas modernas de combate à criminalidade.


O Major Ribeiro do BOPE do Rio de Janeiro, um dos convidados pelo CATI acredita que o curso busca oferecer conhecimento técnico. “Não vamos discutir fórmulas mágicas, vamos apresentar técnicas que vem sendo utilizadas com sucesso e que visam minimizar riscos para a comunidade e para os policiais. O que tenho percebido ao longo dos meus 20 anos de experiência é que as táticas mais simples acabam funcionando em meio a um combate e as complicadas não saem”.


O primeiro dia de treinamento foi marcado por 10 horas seguidas de aula. “Foi impressionante ver que ninguém arredou o pé. Isso mostra disposição e energia para os trabalhos. Mostra que todos estão interessados e que vão corresponder ao investimento que o Estado está fazendo em seus servidores”, disse o superintendente da Polícia Civil de Sergipe, Gilberto Guimarães.


De acordo com Guimarães, todos os servidores que estão passando pelo processo de qualificação estão sendo catalogados para que possam ser aproveitados em ações relativas aos cursos que participaram. “Com a identificação do pessoal que está passando pelos cursos, objetivamos criar um banco de dados com detalhes da qualificação dos gestores de segurança para que eles possam ser empregados em ações ligadas às suas capacitações”.


Christian Dalessandro, um dos instrutores da Swat norte-americana, cumprimentou a todos garantindo que fará o melhor para que este curso seja satisfatório. “Vamos ensinar a vocês o que temos hoje de melhor em Dallas, as técnicas mais modernas e mais eficazes, para que possamos ter o melhor resultado possível.


O gerente executivo do CATI, representando o presidente da instituição agradeceu publicamente à Secretaria da Administração de Sergipe pela confiança e pela oportunidade impar. “Sergipe saiu na frente. Vocês foram o primeiro estado do Norte e do Nordeste a investir e capacitar sua equipe com o que se conhece de melhor hoje em práticas policiais. Tenho certeza que sairão daqui melhores. Aproveitem.


O Secretário da Administração lembrou que este foi o quarto evento que tem o CATI e a SWAT americana como pano de fundo. “Já realizamos curso de resgate de reféns, proteção de autoridades e progressão em selvas e matas. O governo Marcelo Deda tem procurado dar sua contribuição semeando a capacitação dos servidores. Vimos os resultados dos outros cursos e isso nos entusiasmou. Os resultados já estão aparecendo. O Governador tem dado toda prioridade a segurança pública e nós, da Administração, orientados por ele estamos dando a mesma prioridade nos projetos da Escola”.


A Escola tem investido sistematicamente na política de valorização dos operadores de segurança pública, através de qualificações permanentes. “A valorização do servidor é uma prioridade do governo Marcelo Déda. Pensando nisso é que procuramos expandir a capacidade dos servidores de atender melhor a todo aquele que procura o serviço do estado. Só em 2008 já foram capacitados cerca de mil servidores, além de 170 filhos de servidores. Ainda este ano, está programada para 2008 a realização de mais dois cursos. Nesta etapa, 75 servidores serão beneficiados”, disse o secretário da Administração Jorge Alberto.


Formação


Neste ano, já foram realizados dois cursos voltados especificamente para os integrantes da Polícia Civil. O primeiro foi o Curso de Computação Forense com Ênfase em Crimes Virtuais. O curso teve a duração de uma semana e beneficiou 40 servidores entre delegados, agentes de polícia e escrivães. As aulas foram ministradas pelo perito criminal da polícia de São Paulo renomado internacionalmente, Claudemir Costa Santos.


No final das atividades, foram disponibilizadas ferramentas em mídia para tratamento da informação em investigações relativas a crimes virtuais. A procura pelo curso foi tão grande que a Escola de Administração já estuda a viabilidade de realizar a segunda edição, com a presença do mesmo palestrante, em data ainda não definida.


Além destes, foi realizado o Curso de Progressão em Mata. O evento qualificou 30 agentes de segurança, entre policiais civis e militares. As instruções aconteceram durante uma semana na área da Serra de Itabaiana e proporcionaram aos participantes conhecimentos que possibilitarão incursões em área de mata, numa hipótese de perseguição ou busca policial.


Em outubro, cinco integrantes, entre agentes e escrivães da Polícia Civil ligados à Divisão de Inteligência Policial (Dipol) participaram do Curso de Análise Criminal, que aconteceu na Academia Nacional de Policia Federal, em Brasília. O curso teve a duração de 20 dias e os alunos puderam conhecer mais sobre a ferramenta de análise criminal I2.A ferramenta é fruto de um termo de cooperação técnica firmado entre o Governo de Sergipe e a Polícia Federal, através do qual ficou acordado que ela será disponibilizada a polícia sergipana de forma gratuita, o que representa uma economia de R$ 2 milhões para o Estado.


Governo realiza 1° Swat School do Norte-Nordeste


A policia especializada de Dallas, cuja doutrina é considerada a mais preparada do mundo, desembarcou em solo sergipano. Eles são policiais treinados para operações de alto risco. O grupo faz parte do Cati (Centro Avançado em Técnicas de Imobilização), uma organização de treinamento policial que já capacitou mais de 50 mil agentes no Brasil e nos Estados Unidos. O Centro conta com um corpo de profissionais gabaritados que detém conhecimento aprimorado e patenteado acerca de técnicas e táticas de imobilização.


A vinda dos instrutores da Swat norte-americana teve um propósito: o 1° Swat School do Nordeste, curso promovido pela Escola de Governo, numa parceria entre as secretarias de Estado da Administração (Sead) e da Segurança Pública (SSP), contemplando cerca de 120 servidores sergipanos.


Cem vagas foram oferecidas pela Escola de Administração Pública e Gestão Governamental (Esapgese) aos servidores da SSP interessados em participar do curso. Mais de vinte outros alunos vieram de outros estados pagando do próprio bolso para participar dos treinamentos que, com uma carga horária de 74 horas/aula, segue até o dia 14 de dezembro. Os treinamentos serão ministrados por especialistas da Swat Americana e do Batalhão de Operações Policiais Especiais da Polícia Militar do Rio de Janeiro (Bope) para capacitar os policiais sergipanos com conhecimentos e técnicas modernas de combate à criminalidade.


O Major Ribeiro do BOPE do Rio de Janeiro, um dos convidados pelo CATI acredita que o curso busca oferecer conhecimento técnico. “Não vamos discutir fórmulas mágicas, vamos apresentar técnicas que vem sendo utilizadas com sucesso e que visam minimizar riscos para a comunidade e para os policiais. O que tenho percebido ao longo dos meus 20 anos de experiência é que as táticas mais simples acabam funcionando em meio a um combate e as complicadas não saem”.


O primeiro dia de treinamento foi marcado por 10 horas seguidas de aula. “Foi impressionante ver que ninguém arredou o pé. Isso mostra disposição e energia para os trabalhos. Mostra que todos estão interessados e que vão corresponder ao investimento que o Estado está fazendo em seus servidores”, disse o superintendente da Polícia Civil de Sergipe, Gilberto Guimarães.


De acordo com Guimarães, todos os servidores que estão passando pelo processo de qualificação estão sendo catalogados para que possam ser aproveitados em ações relativas aos cursos que participaram. “Com a identificação do pessoal que está passando pelos cursos, objetivamos criar um banco de dados com detalhes da qualificação dos gestores de segurança para que eles possam ser empregados em ações ligadas às suas capacitações”.


Christian Dalessandro, um dos instrutores da Swat norte-americana, cumprimentou a todos garantindo que fará o melhor para que este curso seja satisfatório. “Vamos ensinar a vocês o que temos hoje de melhor em Dallas, as técnicas mais modernas e mais eficazes, para que possamos ter o melhor resultado possível.


O gerente executivo do CATI, representando o presidente da instituição agradeceu publicamente à Secretaria da Administração de Sergipe pela confiança e pela oportunidade impar. “Sergipe saiu na frente. Vocês foram o primeiro estado do Norte e do Nordeste a investir e capacitar sua equipe com o que se conhece de melhor hoje em práticas policiais. Tenho certeza que sairão daqui melhores. Aproveitem.


O Secretário da Administração lembrou que este foi o quarto evento que tem o CATI e a SWAT americana como pano de fundo. “Já realizamos curso de resgate de reféns, proteção de autoridades e progressão em selvas e matas. O governo Marcelo Deda tem procurado dar sua contribuição semeando a capacitação dos servidores. Vimos os resultados dos outros cursos e isso nos entusiasmou. Os resultados já estão aparecendo. O Governador tem dado toda prioridade a segurança pública e nós, da Administração, orientados por ele estamos dando a mesma prioridade nos projetos da Escola”.


A Escola tem investido sistematicamente na política de valorização dos operadores de segurança pública, através de qualificações permanentes. “A valorização do servidor é uma prioridade do governo Marcelo Déda. Pensando nisso é que procuramos expandir a capacidade dos servidores de atender melhor a todo aquele que procura o serviço do estado. Só em 2008 já foram capacitados cerca de mil servidores, além de 170 filhos de servidores. Ainda este ano, está programada para 2008 a realização de mais dois cursos. Nesta etapa, 75 servidores serão beneficiados”, disse o secretário da Administração Jorge Alberto.


Formação


Neste ano, já foram realizados dois cursos voltados especificamente para os integrantes da Polícia Civil. O primeiro foi o Curso de Computação Forense com Ênfase em Crimes Virtuais. O curso teve a duração de uma semana e beneficiou 40 servidores entre delegados, agentes de polícia e escrivães. As aulas foram ministradas pelo perito criminal da polícia de São Paulo renomado internacionalmente, Claudemir Costa Santos.


No final das atividades, foram disponibilizadas ferramentas em mídia para tratamento da informação em investigações relativas a crimes virtuais. A procura pelo curso foi tão grande que a Escola de Administração já estuda a viabilidade de realizar a segunda edição, com a presença do mesmo palestrante, em data ainda não definida.


Além destes, foi realizado o Curso de Progressão em Mata. O evento qualificou 30 agentes de segurança, entre policiais civis e militares. As instruções aconteceram durante uma semana na área da Serra de Itabaiana e proporcionaram aos participantes conhecimentos que possibilitarão incursões em área de mata, numa hipótese de perseguição ou busca policial.


Em outubro, cinco integrantes, entre agentes e escrivães da Polícia Civil ligados à Divisão de Inteligência Policial (Dipol) participaram do Curso de Análise Criminal, que aconteceu na Academia Nacional de Policia Federal, em Brasília. O curso teve a duração de 20 dias e os alunos puderam conhecer mais sobre a ferramenta de análise criminal I2.A ferramenta é fruto de um termo de cooperação técnica firmado entre o Governo de Sergipe e a Polícia Federal, através do qual ficou acordado que ela será disponibilizada a polícia sergipana de forma gratuita, o que representa uma economia de R$ 2 milhões para o Estado.