Investimentos no sistema de tratamento de água ampliam condições de abastecimento em Aracaju

Canal Viva Bem


Os investimentos realizados pela Companhia de Saneamento de Sergipe (Deso) nos sistemas de tratamento de água de Aracaju proporcionaram o alcance do equilíbrio entre oferta e consumo na capital e na área metropolitana, afastando a possibilidade de racionamento ou de falta dágua.



Embora as temperaturas características do verão já estejam predominando há algum tempo, o abastecimento de água se mantém dentro da normalidade, pois os reservatórios têm mantido os níveis normais de armazenamento, o que garante o fornecimento de água.



O diretor de Operações da Deso, Sílvio Múcio Farias, explica que os investimentos efetuados nas estações de tratamento possibilitaram um aumento da disponibilidade de água e a garantia de equiparar a produção ao consumo. “Estes investimentos priorizaram o tratamento por se configurar como o maior gargalo do sistema de abastecimento em Aracaju. A limitação das estações de tratamento de água dificultavam o abastecimento na medida em que o consumo aumentava e a quantidade de água disponibilizada era insuficiente. Reforçamos e ampliamos os quadros elétricos, substituímos conjuntos de bombas e ampliamos o potencial produtivo das demais, investimos ainda na melhoria das condições dos leitos filtrantes e também estamos substituindo redes antigas de distribuição na cidade”, explicou.



Com as intervenções realizadas pela Deso, não há possibilidade de racionamento de água ou de falta dágua na capital e na Grande Aracaju por conta do verão. Os casos de interrupção do fornecimento poderão ocorrer somente quando da execução de conserto de vazamentos ou manutenção do sistema, serviços que serão realizados num curto período de tempo. “Aracaju não sofre mais de escassez de água, como ocorreu no passado”, disse.



Mas o Governo do Estado vai realizar ainda outros investimentos no sistema de abastecimento de água de Aracaju. Com recursos da ordem de R$ 140 milhões, do Governo Federal, através do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), a partir de fevereiro serão iniciadas a duplicação dos trechos de recalque e por gravidade da adutora do São Francisco, a duplicação das caixas de passagem e de quebra-carga, duplicação de ramais, recuperação e a duplicação das ETAs Oviêdo Teixeira e João Ednaldo, o que vai proporcionar o garantir a oferta de água para Aracaju para os próximos 20 anos.



Segundo Sílvio Múcio, estas obras deveriam ser feitas há 10 anos, para evitar o colapso no abastecimento. “Existe um atraso de 10 anos no plano de abastecimento de água de Aracaju por conta da falta de investimentos nas três etapas do sistema, que são a captação, o tratamento e a distribuição. A cidade se desenvolveu, bairros inteiros surgiram e não foi feito planejamento para acompanhar este crescimento. Com estes investimentos do Governo do Estado é possível dimensionar o sistema de abastecimento planejando também o crescimento de Aracaju no futuro”, complementa.