III Olimpíada Especial Unimed superou as expectativas

Canal Viva Bem


“Se o esporte é superação, eles já nasceram campeões” foi o slogan da III Olimpíada Especial Unimed que, durante três dias, reuniu mais de 1,6 mil atletas portadores de necessidades especiais de todo o Estado. “No início, quando nós começamos, focamos só Aracaju. E de lá para cá, nós tivemos uma grande evolução e resolvemos abrir para todo o Estado”, relatou Rosemary Costa, que responde pela Coordenação de Responsabilidade Sócio-Ambiental (CORSA) da cooperativa médica. As atividades foram realizadas de 20 a 22 de setembro, no Complexo Desportivo do Serviço Social da Indústria (Sesi), e foram encerrada na tarde do sábado, dentro da programação do Sesi Ação Global.


 


O principal objetivo do evento, conforme destacou Rosemary Costa, é promover a inclusão social e a melhoria da qualidade de vida através do esporte, de portadores de necessidades especiais. “Não importa o tipo de deficiência, mas sim que cada participante se sentisse incluído. Nós estamos conseguindo isso a cada ano, através da olimpíada, o que é muito gratificante”.


 


Segundo ela, se as pessoas parassem para observar, veria que os portadores de necessidades especiais possuem habilidades e que muitas vezes superam as expectativas. “Você observa que, mesmo com determinados tipos de comprometimento, eles atingem seus objetivos. Eles treinaram para participar das competições. Eles são vitoriosos, porque são persistentes e isso eleva a auto-estima deles”.


 


Os inscritos participaram de competições de vôlei, futsal, atletismo, dama, xadrez, dominó, corrida rústica, capoeira e muitas outras, além de atividades recreativas. A Olimpíada Especial Unimed, que desde a sua primeira edição superou as expectativas de participantes, vem crescendo a cada ano. A primeira aconteceu em setembro de 2005 e teve mais de 850 inscritos, entre crianças, adolescentes e adultos portadores de necessidades especiais, assistidos por mais de 24 instituições de Aracaju. Desde o ano passado, o evento foi aberto para todo o Estado e conta com a participação de cerca de 50 instituições, além de atletas que se inscrevem avulsos.


 


De mais de 850 inscritos em 2005, este número foi ampliado para cerca de 1,2 mil participantes, assistidos por quase 50 instituições da capital e do interior do Estado em 2006. Este ano mais uma vez, as inscrições superaram as expectativas. “Aguardávamos a participação de cerca de 1,5 mil atletas especiais e ultrapassamos a marca dos 1,6 mil”, comemorou Rosemary Costa. “Além das diversas modalidades esportivas, foi realizada recreação paralela para aqueles que não estavam inscritos nas competições. O público especial tem que estar em atividade constante”, complementou ela.


 


Iniciativas como esta, acabam abrindo espaços para este público, não só nos esportes, como também em outras áreas. “Desde o ano que nós iniciamos para cá, percebemos que houve muitos espaços abertos. Hoje se fala mais em esportes e em inclusão social dos portadores de necessidades especiais, coisa que não era vista fora das instituições que os assiste. Então, já percebemos uma evolução nisso, um crescimento, um amadurecimento da sociedade”.


 


O evento esportivo foi realizado em parceria com diversas instituições públicas e privadas e o Serviço Social da Indústria (Sesi), cujo encerramento acontece dentro da programação do Sesi Ação Global. Durante a realização das provas, a Unimed manteve ainda uma ambulância com médico de plantão no local para possíveis intercorrências.


 


Encerramento


Realizado na tarde de sábado, 22/9, ao final da olimpíada, todas instituições receberam troféus pela sua participação no evento, assim como os atletas receberam uma medalha de honra ao mérito, mesmo os vencedores nas competições. “Eles passaram um ano treinando para as competições e aguardando pela realização da olimpíada e é por isso que todos eles mereceram ganhar medalhas”, informou a coordenadora do CORSA. Como na poderia deixar de ser, uma apresentação musical animou a todos, após a entrega final dos prêmios.