950 novos doadores de medula óssea cadastrados pelo Hemolacen em 2007

Canal Viva Bem


O Centro de Hemoterapia e Laboratório Central de Saúde Pública (Hemolacen) cadastrou em 2007 mais 950 novos doadores de medula óssea. Ao todo, o hemocentro dispõe atualmente de 2,8 mil doadores cadastrados e conquistados através de palestras realizadas pelo Serviço Social para doadores de sangue voluntários. O trabalho é fundamental para ampliar a possibilidade de encontrar pessoas compatíveis para ajudar a salvar vidas de pessoas que sofrem de doenças que afetam a medula e ser funcionamento.


“Mesmo comemorando o crescimento, o número ainda precisa melhorar com relação a outros estados. Estamos trabalhando na conscientização da sociedade para aumentar a quantidade de doadores cadastrados, quebrando alguns tabus sobre a doação. A principal estratégia é oferecer informação à população e as escolas e imprensa têm sido grandes parceiros no enfrentamento desta batalha”, afirmou a médica Mariamália Andrade, gerente de atividades do hemocentro.


O cadastramento para doação é realizado de segunda a sexta-feira, das 7h30min às 17h30min, na sede do Banco de Sangue, localizado na avenida Tancredo Neves, s/nº, ao lado do Hospital de Urgência de Sergipe (HUSE), no bairro Capucho, Aracaju. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (79) 3259-3191.


A doação


Para realizar o cadastro, são retirados 10ml de sangue do doador, que precisa ter entre 18 e 55 anos e apresentar um bom estado de saúde. Após a doação, o sangue vai para o Registro de Doadores de Medula Óssea (Redome) http://www.inca.gov.br/conteudo_view.asp?ID=677 do Instituto Nacional do Câncer (Inca), um banco onde ficam disponíveis os dados dos doadores para o mundo inteiro. Quando um paciente necessita, esse banco é consultado na busca por compatibilidade.


Caso seja encontrado, o doador é consultado sobre a vontade de fazer a doação de medula. “Nosso banco de coleta está interligado ao Centro de Hemoterapia de Pernambuco (Hemope), como forma de facilitar o acesso às doações. A coleta é feita em um centro cirúrgico, com anestesia, sem dor alguma e no mesmo dia o doador vai para casa”, disse Rosely.


Medula


A medula óssea é a matriz do sangue e se localiza na parte interna dos ossos, semelhante ao tutano dos ossos do boi. Na medula estão as células-mãe que dão origem aos glóbulos vermelhos, brancos e plaquetas do sangue. Os pacientes que necessitam de doação têm doenças que comprometem a produção de sangue pela medula.


A doação de medula óssea beneficia pacientes que sofrem de doenças como leucemia e aplasia de medula óssea, além de crianças com algumas doenças genéticas. O principal entrave é a dificuldade de compatibilidade que existe. A chance de um paciente encontrar um doador compatível entre irmãos é de até 25%. Entre pessoas sem graus de parentesco, a chance é de um para um milhão.


Aumento


A quantidade de pessoas dispostas a doar aumentou quase 800% nos últimos três anos. Em 2004, eram 60 mil pessoas cadastradas. Em 2007, o registro nacional de doadores passou a ter mais de 530 mil nomes de brasileiros colaborando com a causa.


O doador de medula óssea deve manter seu cadastro atualizado para que seja encontrado em caso de haver compatibilidade com algum paciente. A atualização dos dados deve ser informada através do e-mail redome@inca.gov.br , pelo telefone (21) 3970-4100, ou ainda através de contato com a Associação da Medula Óssea pelo fone (11) 3333-4424 ou pelo site http://www.ameo.org.br/ .