Vigilância Sanitária interdita fábrica de gelo

Canal Viva Bem

A Coordenação de Vigilância Sanitária e Ambiental (Covisa) da Diretoria de Vigilância em Saúde (DVS), unidade da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), interditou uma fábrica de gelo na avenida Maranhão, bairro 18 do Forte. A ação aconteceu na manhã desta quarta-feira, 30, e contou com o apoio da Empresa Municipal de Obras e Urbanização (Emurb), da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Sema) e da Guarda Municipal de Aracaju (GMA).

De acordo com Graça Barros, coordenadora da Covisa, as fábricas de gelo são empresas reguladas pela Vigilância Sanitária porque gelo é considerado alimento. “Esta fábrica está fora das normas da legislação vigente, já é reincidente. Há dois meses foi realizada uma nova inspeção e foi dado um prazo para adequação. Para agravar ainda mais a situação houve um vazamento de gás amônia na semana passada, colocando a saúde dos trabalhadores e da população vizinha em risco. Então tivemos que interditar o setor de produção de gelo para consumo humano”, explicou a coordenadora.

“O Corpo de Bombeiros já interditou a fábrica por conta do vazamento do gás e nós interditamos por falta de alvará sanitário, por não possuir responsável técnico pelo setor produtivo, por apresentar risco de contaminação do gelo produzido, enfim, pelos descumprimentos das exigências sanitárias. O proprietário da fábrica terá 15 dias para recorrer”, informou Geraldo Santana, gerente da Qualidade da Água da Covisa, que integrou a equipe de fiscalização.

Segundo o fiscal da Emurb, Orlando Figueiredo Bomfim, a estrutura do prédio tem muitos problemas, como rampa irregular, os sanitários inadequados,ausência de área de estacionamento de carga e descarga de mercadoria, nem estacionamento para clientes, não tem certidão de uso do solo, entre outros. “O proprietário terá que providenciar os documentos para requerer a regularização do prédio”, disse Orlando.

Já a analista ambiental da Sema, Aline Oliveira, observou que a fábrica está em obra mas não tem caixa coletora para o descarte correto do entulho. “Nem deram entrada no licenciamento ambiental. Vamos dar um prazo de 15 dias para a readequação”, enfatizou Aline.

Integração

Para proporcionar uma maior segurança para os fiscais, a Guarda Municipal foi convidada a fazer parte da visita de fiscalização. “A política da gestão municipal é trabalhar integrada proporcionando uma maior eficiência no trabalho da Prefeitura de Aracaju. Agradecemos aos órgãos parceiros que nos acompanharam nesta ação que faz parte da rotina da Vigilância Sanitária”, finalizou a coordenadora da Covisa, Graça Barros.

Fonte: AAN