TAXAS

Canal Viva Bem


Caixa reduz juros pela terceirta vez este ano


A Caixa Econômica Federal passa a operar a partir de segunda-feira (09), com novas taxas de juros nas modalidades de crédito comercial para pessoa física e jurídica. Esta é a terceira redução de juros neste ano. São 20 linhas de crédito que terão taxas menores. Em pessoa física, destaque para a compra de material de construção, automóveis e consignado. Para as empresas, as maiores reduções são para capital de giro e antecipação de recebíveis.


Para o consumidor, por exemplo, num empréstimo de crédito consignado no valor de R$ 10 mil, com prazo para pagamento de 60 meses, o valor da prestação era de R$ 313,54, com taxa de 2,35% ao mês. Com a redução dos juros para 2,07% a.m., o valor passa a ser de R$ 293,38, ou seja, uma economia de R$ 20,16 por mensalidade. Ao final do empréstimo, o cliente terá economizado R$ 1.209,60.


Na linha de veículos, as taxas passaram de 2,99% para 2,18%. Num empréstimo de R$ 30 mil, por exemplo, durante o prazo de 36 meses, a economia do cliente será de R$ 3.456,00 no financiamento. No Construcard, a redução é de 6,29%, passando de 1,69% a 1,59%. Em uma operação da linha no valor de R$ 10 mil, num prazo de 58 meses, a economia será de cerca de R$ 400,00. Nessa operação, a nova taxa passa a vigorar a partir de 16/02.


Para a presidente da CAIXA em exercício, Clarice Coppetti, a redução dos custos operacionais e o menor custo médio de captação de recursos no mercado foram direcionados para beneficiar os clientes. “A CAIXA cumpre o seu papel de banco público ao contribuir para minimizar o impacto da crise internacional na economia brasileira”, declarou. O banco trabalha com a meta de ampliar a carteira de crédito em 30% em 2009.


Na avaliação do vice-presidente de Atendimento e Distribuição da CAIXA, Carlos Borges, as reduções, além de beneficiar os clientes, ajudarão a CAIXA a expandir a sua carteira e ampliar a participação no mercado. “A orientação aos superintendentes regionais e gerentes gerais é buscar projetos e operações, com objetivos de aquecer a economia local e a geração de emprego e renda”, lembrou.


Segundo o vice-presidente de Finanças, Márcio Percival, a CAIXA vem respeitando as melhores práticas do mercado e melhorando a qualidade do crédito, contribuindo para manter em patamares elevados os níveis de financiamento da economia brasileira, ao mesmo tempo em que amplia o volume dos seus negócios. “Nesse momento os bancos públicos têm uma enorme contribuição a dar para a sociedade.”


A CAIXA também reduziu as taxas no consignado INSS. Os juros que eram de 2,35% foram para 2,07%, uma redução de 11,91%. No micropenhor também houve diminuição dos juros. A nova taxa passou de 1,90% para 1,70%, redução de 10,53%.


Pessoa Jurídica


A CAIXA também alterou as taxas para pessoa jurídica. Nas operações de capital de giro, o banco reduziu, em média, 13,67% as taxas dos produtos. Uma operação em 18 meses, por exemplo, cuja taxa era de 2,53% a.m., passa para 2,07% a.m.. A economia para a empresa, num empréstimo de R$ 100.000,00, no prazo mencionado, será superior a R$ 12.000,00, pois a taxa de juros foi reduzida em 18%.


No Cheque Empresa CAIXA, as taxas foram reduzidas em todas as faixas. Em especial para as Micro e Pequenas Empresas, onde houve redução de 10,02%, passando de 5,99% para 5,39% a.m.. Nessa modalidade, as taxas serão válidas para a cobrança dos juros que ocorrerem a partir do último dia útil de fevereiro até o penúltimo dia útil de março, período base de cobrança de juros do produto.


Em operações de antecipação de recebíveis, em que a CAIXA já pratica um dos menores juros do mercado, a taxa mínima é de 1,26% a.m, a depender do recebível a ser antecipado.