Servidores do Hemolacen distribuem brinquedos em instituições de caridade

Canal Viva Bem


Fotos: Márcio Garcez


Uma equipe de colaboradores do Centro de Hemoterapia e Laboratório Central de Saúde Pública (Hemolacen) realizou uma atividade diferente nesta quinta-feira, 27, ao doar 150 presentes às crianças assistidas em Aracaju pelo Instituto Filhos da Divina Misericórdia, no bairro Santa Maria, e pelo Lar Santa Zita, no bairro Getúlio Vargas. A iniciativa beneficiou mais de 100 crianças.


A arrecadação dos presentes para doação foi a forma que os servidores encontraram para se confraternizar pela passagem de 2007. Coordenada pela psicóloga do hemocentro, Petruska Passos, a ação começou pelo orfanato Divina Misericórdia, que atende 80 crianças e jovens entre de um a 15 anos. No local, eles recebem hospedagem, três refeições diárias e lanches, além de estudar nos dois turnos com direito a aulas de esporte, música e orientação religiosa.


Para realizar o trabalho, o frei Cristiano Lima conta com o apoio de 10 voluntários do bairro Santa Maria, que realizam as atividades em revezamento. A dona de casa Ana Ferreira presta serviços voluntários à instituição há quatro anos, ajudando na educação das crianças. “Eu freqüentava a Igreja Católica aqui do Santa Maria, fui convidada pelo pároco a conhecer o orfanato e, após a visita, me apaixonei pelo trabalho feito no bairro e acabei ficando. Hoje, cuido dessas crianças como se fossem meus filhos”, conta.


Segundo Marcelo Freitas, um dos diretores de área do Hemolacen, a escolha dos dois orfanatos foi realizada em conjunto com os colaboradores que, após avaliar várias instituições, decidiram pelo Divina Misericórdia e o Lar Santa Zita considerando a necessidade de ambos e o tipo de trabalho que desenvolvem.


No Lar Santa Zita, as crianças abandonadas e meninas vítimas de violência doméstica e sexual encontram abrigo e proteção há mais de 40 anos. Atualmente, a instituição abriga 26 meninas entre cinco e 15 anos. “É um final de ano muito feliz, com toda certeza”, afirmou V. O., que está no abrigo desde os oito anos, quando foi abandonada pela família, e há 10 vive com o suporte de uma cadeira de rodas.


De acordo com o diretor do Laboratório Central da Secretaria de Estado da Saúde, Sérvulo Nunes, a distribuição de presentes não será realizada apenas no Natal, mas em ocasiões festivas como Carnaval, Páscoa, Dia da Criança e São João. “É muito gratificante ver o sorriso de uma criança ao receber um presente. Não há dinheiro que pague esse momento de felicidade”, afirmou.