Samu Sergipe promove 2º módulo de capacitação em suporte de vida

Canal Viva Bem


 


Foto: Wellington Barreto/SES


No último final de semana, dias 1º e 2 de dezembro, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu 192 Sergipe) realizou a segunda etapa do curso de Suporte de Vida Avançado em Cardiologia (ACLS – Advance Cardiologic Life Support) para os médicos do Hospital de Urgência de Sergipe Governador João Alves Filho (HUSE), e Suporte Básico de Vida (BLS – Basic Life Support) para os monitores do Núcleo de Educação Permanente (NEP) do Samu.


 


A capacitação aconteceu no Colégio Águia e foi ministrada por facilitadores do Instituto do Coração do Hospital das Clínicas de São Paulo (Incor). De acordo com Conceição Mendonça, coordenadora de enfermagem do Samu Sergipe, o objetivo do projeto é qualificar as ações de ‘Regulação e Intervenção’ no contexto das urgências clínicas, traumáticas, obstétricas e psiquiátricas no âmbito pré-hospitalar e intra-hospitalar.


 


O projeto está dividido em dois cursos, com cinco módulos cada, ACLS para 140 médicos e enfermeiros do Samu e do Hospital de Urgência de Sergipe Governador João Alves Filho (HUSE); e BLS, para 160 auxiliares de enfermagem e condutores do Serviço. “Neste segundo módulo a capacitação de ACLS foi para 54 médicos e enfermeiros do Samu e do HUSE, e a de BLS foi para 60 auxiliares de enfermagem e condutores do Serviço”, informou Conceição Mendonça.


 


De acordo com ela, esta é a primeira vez no Brasil que uma Secretaria de Saúde, estadual ou municipal, promove esta capacitação com profissionais do Incor que, por sua vez, foram treinados pela Associação Americana de Cardiologia nos Estados Unidos. “Os próprios facilitadores do Incor disseram que este curso é um projeto piloto em Sergipe porque os profissionais capacitados serão multiplicadores do conhecimento para outros técnicos das urgências e emergências do Estado”, afirmou Conceição.


 


Curso


A capacitação teórica e prática foi iniciada dia 24 de novembro e prosseguirá até 16 de dezembro com a realização de mais três módulos. “É um curso rigoroso. Para se ter uma idéia, a média teórica é de 8,5 e a prática é 9. A visão que os profissionais sergipanos estão tendo é das mais modernas. Até o manequim para os testes com paradas cardiorespiratórias é o que há de mais avançado no mundo. Estão todos bastante interessados”, explicou a coordenadora de Enfermagem.