Projeto Social de judô recebe doação de kimonos da Coopanest-SE

Canal Viva Bem

Na manhã deste sábado, 4, a Cooperativa dos Anestesiologistas de Sergipe (Coopanest-SE) realizou a doação de 32 kimonos ao Projeto “A escola vai ao Batalhão de Choque”, que este ano completa seis anos de existência. Durante este período, já atendeu mais de 600 crianças carentes da Grande Aracaju, ensinando a prática do Judô.

O projeto funciona por meio da parceria entre a Polícia Militar de Sergipe, que cede o professor e a academia de treinos do Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (CFAP), no bairro América, e o Serviço Social da Indústria (Sesi), que fornece kimonos. Atualmente, 165 crianças praticam o judô por meio do projeto.


Para o presidente da Coopanest, Danilo Lima, é uma honra para a cooperativa, que já tem um histórico de participação social, contribuir com o projeto. “Faz parte do princípio do cooperativismo ajudar a sociedade que nós estamos inseridos. Essa ação edifica muito, nos deixa honrados por estar ajudando as entidades de segurança pública em um projeto tão lindo. Um projeto que, por meio do esporte, ensina valores como educação, respeito, compromisso, coragem e atitude para as crianças que futuramente serão atores dessa sociedade e gerar transformação”, salientou Danilo.

De acordo com o cabo Elvio Lisboa, instrutor responsável pelo projeto, a doação da Coopanest-SE será de suma importância para que o projeto possa atender mais crianças. “Temos 80 crianças na fila de espera para participar do projeto. Com essa doação valorosa da Cooperativa dos Anestesiologistas mais 32 crianças serão atendidas, reduzindo essa fila. Essas crianças terão acesso ao esporte e que poderão transformar suas vidas como várias outras que já passaram por aqui. Então esta oportunidade que a Coopanest está dando, por meio dessa doação, é indescritível”, enalteceu Elvio.

“Ficamos comovidos quando soubemos que esse projeto engrandecedor não tinha uma amplitude maior pela falta de kimonos e a falta de espaço. Então pudemos contribuir, nesse momento, com esses kimonos. E a gente quer crer que essa atitude não seja pontual, mas que ela se repita, porque a fila é muito maior do que a modesta participação que conseguimos agora”, pontuou Danilo Lima, presidente da Coopanest.

O comandante do CFAP, tenente-coronel Carlos Rolemberg, parabenizou a iniciativa da Coopanest. “Quando há uma somação de forças como esta aqui, da Coopanest-SE juntamente com o projeto que aqui é desenvolvido na pessoa do cabo Élvio, que é o idealista, nós ficamos felizes, pois estamos dando neste momento a oportunidade para essas crianças praticarem o judô. Se nós dermos um pouquinho do que nós temos, estaremos contribuindo para uma sociedade melhor”, ressaltou o comandante do CFAP.

Fonte/Fotos: Ascom/Coopanest