Pacientes dão exemplos de vida no Dia Nacional de Combate ao Câncer

Canal Viva Bem


Com café da manhã e apresentações artísticas de pacientes, funcionários e ex-pacientes, a Secretaria de Estado da Saúde comemorou o Dia Nacional de Combate ao Câncer nesta terça-feira, 27,  no Centro de Oncologia Dr. Oswaldo Leite (COOL) do Hospital de Urgência de Sergipe Governador João Alves Filho (HUSE).


 


Durante toda a manhã, cerca de 200 pessoas assistiram a apresentação dos corais Pirilampys e Gotas de Luz, formados por funcionários do HUSE e crianças que fazem tratamento no COOL, respectivamente, do Grupo Mamafest, formado por pacientes e ex-pacientes oncológicos, e do paciente Pirrita, músico que tocou violão e transformou o Dia Nacional de Combate ao Câncer em uma grande festa.


 


Ednaldo Santos de Matos, o Pirrita, dividiu sua experiência e fez questão de mostrar que, mesmo em tratamento, em alguns casos é possível levar uma vida normal. “Tem muita gente que acha que a vida acaba por causa da doença, mas não é assim. A vida continua e ser portador de câncer é estar vivo, ser alegre e batalhar para vencer a doença e o preconceito que ainda existem”, resumiu.


 


Mesmo não tendo diagnosticado a doença previamente, há 11 anos a assistente social e funcionária pública Maria Janine Silva não desiste da luta contra o câncer de mama que chegou a se espalhar pelos ossos. A paciente do HUSE já fez quimioterapia, mastectomia (retirada da mama) e atualmente faz tratamento de radioterapia no COOL.


 


“Descobri muitos remédios novos, mas o amor, a compreensão, o acolhimento e o trabalho feito com a alma são os melhores remédios no combate ao câncer. Isso é o que faz a diferença. Depois da doença, percebi que a vida tem mais sabor, as pessoas têm mais valor. O universo é uma benção. Cada dia me sinto mais privilegiada por acreditar no melhor e conviver com pessoas que têm predisposição para me amar, me acolher. Isso prá mim é muito forte, muito gratificante. É o melhor remédio”, afirmou, emocionada.


 


Para o coordenador clínico do COOL, o médico Geraldo Bezerra, as comemorações do Dia Nacional de Combate ao Câncer serviram serviu para reafirmar os esforços científico e social para vencer o câncer, doença com fortes implicações na desintegração social e sofrimento humano. “É uma união de energias positivas de todos os que trabalham em favor do combate à doença”, avaliou.


 


Avanços


De acordo com o médico Geraldo Bezerra, o Estado alcançou uma grande vitória este ano ao regularizar a oferta e distribuição dos 84 itens e medicamentos que fazem parte da lista obrigatória do COOL. “Contudo, o diagnóstico precoce continua sendo um aliado importante luta contra a doença degenerativa, trazendo mais possibilidades de bons resultados de tratamento e maior sobrevida”, explicou.


 


O oncologista lembrou que o Governo de Sergipe tem trabalhado para melhorar as condições de atendimento aos pacientes oncológicos, inclusive com a meta de construir o primeiro Hospital do Câncer do Estado. “Sergipe é o único estado do Nordeste que ainda não possui uma unidade deste tipo e o Centro de Oncologia tem feito cerca de dois mil atendimentos mensais”, destacou.