Médicos iniciam dia 10 as paralisações relâmpagos

Canal Viva Bem


Os médicos sergipanos iniciam as paralisações relâmpagos, programadas pelas entidades médicas do Estado, às 7h30 de segunda-feira, 10/12. Durante 60 minutos, os profissionais que atendem no Pronto Socorro Municipal Nestor Piva, em Aracaju, vão parar de trabalhar.


 


A hora será usada para conversar com os pacientes, mostrar a precária condição de trabalho imposta aos médicos que atende pelo Sistema Único de Saúde (SUS), que reflete diretamente no atendimento à população mais carente.


 


As paralisações relâmpagos, que vão acontecer até março em todo o país, atendem determinação do Conselho Federal de Medicina (CFM), em conjunto com a Associação Médica Brasileira (AMB) e Federação Nacional dos Médicos (Fenam). A mobilização geral, em todos os Estados, já tem data definida: será 5 de março de 2008.


 


Entre as reivindicações está a defesa do piso salarial médico unificado de R$ 6.963,52 por 20 horas de trabalho semanais. “Este é um valor justo. As entidades médicas chegaram a este valor, através de cálculos e levantamentos, tomando como base o que é pago em outras profissões públicas de carreira”, comenta Roberto Gurgel,  presidente da Sociedade Médica de Sergipe (Somese) e diretor de Defesa Profissional da AMB.


 


Segundo Gurgel, este valor é menos da metade do que recebe um promotor de 1ª instância. “Ele ganha mais de R$ 13 mil”, citou, frisando ainda que os médicos estão cansados de trabalhar em cinco ou seis lugares para atingir uma renda mínima.


 


No dia 11/12 a paralisação será no Hospital de Urgência de Sergipe Governador João Alves Filho (Huse), das 7h30 às 8h30. No dia seguinte, 12/12, será a vez os médicos do Hospital Cirurgia pararem por 60 minutos.


 


Reivindicações:


Tornar o Serviço Público Eficiente na Área da Saúde


Melhorar o Atendimento à População


Reajuste dos Honorários Médicos – Piso Salarial Médico R$ 6.963,52 por 20 horas


Carreira de estado e Implantação de Plano de Cargos e Salários para os Médicos do SUS.