ESTÁGIO PARA ÍNDIOS

Canal Viva Bem


A Caixa Econômica Federal e a Fundação Nacional do Índio (Funai) assinaram nesta semana acordo para disponibilizar vagas de estágio com prioridade para indígenas nos cursos de nível médio e superior. Serão ofertadas, ao todo, 300 oportunidades, que beneficiarão, principalmente, estudantes indígenas de todo o país.


Para participar dos estágios de nível superior é necessário estar no terceiro semestre, para os cursos com duração de três anos ou três anos e meio ou no quinto semestre para os cursos com duração de quatro e cinco anos, de áreas compatíveis com as atividades a serem desenvolvidas na CAIXA, como Administração, Direito, Psicologia, Comunicação, Engenharia, entre outros.


As inscrições para estagiar na CAIXA deverão ser feitas nos Agentes de Integração: Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE), no site www.ciee.org.br e Instituto Euvaldo Lod (IEL), no endereço www.iel.cni.org.br. Os estudantes indígenas terão prioridade sobre os demais candidatos na indicação para as vagas existentes e que vierem a ser oferecidas.


“A implementação dessa política proporcionará aos jovens indígenas acesso e complementação do ensino e da aprendizagem, com conhecimento administrativos bancários para que possam se transformar em profissionais preparados e que tenham um futuro promissor”, destaca a presidente da CAIXA, Maria Fernanda Ramos Coelho.


Para o presidente da Funai, Márcio Augusto Freitas de Meira, a iniciativa é muito importante, pois integra o cidadão indígena, que é desconhecido por muitos e alvo de preconceitos. “Essa parceria é a garantia expressa de um direito garantido na Constituição”, diz.


Além da oferta de vagas para estágio, a CAIXA e a FUNAI comprometeram-se em desenvolver outras iniciativas que envolvem a população indígena localizadas nos Territórios Indígenas de Cidadania, com projetos voltados à Habitação, saneamento entre outros projetos.


Índios no Brasil


Segundo dados da Funai, hoje, no Brasil, vivem cerca de 460 mil índios, distribuídos entre 225 sociedades indígenas, que perfazem cerca de 0,25% da população brasileira. Cabe esclarecer que este dado populacional considera tão-somente aqueles indígenas que vivem em aldeias, havendo estimativas de que, além destes, há entre 100 e 190 mil vivendo fora das terras indígenas, inclusive em áreas urbanas.


Há também 63 referências de índios ainda não-contatados, além de existirem grupos que estão requerendo o reconhecimento de sua condição indígena junto ao órgão federal indigenista.