Campanha de doação de sangue é destaque em revista nacional especializada

Canal Viva Bem


O Centro de Hemoterapia e Laboratório Central de Saúde Pública (Hemolacen) foi destacado na última edição da revista nacional da Sociedade Brasileira de Hematologia e Hemoterapia (SBHH). A publicação traz uma matéria especial sobre a campanha ‘Santo de Casa Também Faz Milagre’, executada pelo Governo de Sergipe junto a empresas e instituições públicas e privadas desde junho para coletar doações de sangue e fidelizar novos.


 


Até este momento, a campanha já conseguiu cerca de 500 doadores voluntários. A instituição coleta e processa mensalmente cerca de 2.300 bolsas de sangue, que têm como destino os hospitais da capital e interior de Sergipe e, em alguns casos, outros estados.


 


De acordo com o oncologista Roberto Gurgel, presidente do Hemolacen, a tarefa de conquistar novos doadores representa um grande desafio diário. “Todo o sangue utilizado pela saúde é fruto de doação e quanto mais pessoas conscientes da importância de doar conseguirmos estimular, melhor será para o atendimento aos cidadãos”, explicou.


 


Doações


Para doar sangue, é necessário estar em boas condições de saúde, ter entre 18 e 65 anos, pesar pelo menos 50 quilos, estar descansado e alimentado (evitar alimentos gordurosos nas quatro horas que antecedem a doação), apresentar documento original com foto emitido por órgão oficial (carteira de identidade ou carteira de trabalho).


 


Para obter informações sobre palestras e doações de sangue nas empresas e instituições, basta ligar para o Hemolacen e falar com o setor de Recursos Humanos da unidade através do telefone (79) 3249-3191.


 


Impedimentos temporários


Pessoas com gripe devem aguardar sete dias depois de curadas para doar sangue. As mães que tiveram seus bebês em partos normais podem doar depois de 90 dias e as que realizaram parto com cesariana precisam esperar 180 dias após o final da gravidez. Aqueles que mantiveram relações sexuais sem camisinha ou fizeram tatuagens precisam esperar pelo menos um ano após o fato para se candidatar novamente a uma doação.