UPAS DE ARACAJU

Canal Viva Bem

Quem buscou atendimento nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) Nestor Piva, na zona Norte, e Fernando Franco, na zona Sul, esta semana, encontrou escalas de médicos plantonistas completas e profissionais da Saúde trabalhando para melhor servir ao cidadão. Além disso, equipes atuavam com materiais médicos hospitalares e medicamentos à disposição dos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). As duas unidades atendem uma média de 700 pessoas por dia.

O secretário-adjunto da Saúde, Adalberto Dantas Canuto Júnior, esteve visitando a UPA Nestor Piva na quarta-feira, onde também participou, na sala de administração, de uma reunião com gestores e diretores, debatendo a continuidade do trabalho na busca por melhorias e soluções para que as UPAs continuem funcionando de maneira eficaz. "O espírito da nova gestão é o foco no cidadão, é atender bem a população que procura atendimento do SUS. Para isso, estamos trabalhando para suprir as UPAs com o necessário para a realização dos serviços", enfatizou.

Com escala diária formada por cinco clínicos, dois cirurgiões e dois ortopedistas, a UPA Nestor Piva atende em média 400 pessoas/dia, chegando a 500 pessoas nas segundas-feiras.  Na Unidade de Pronto Atendimento Fernando Franco, cuja escala é composta por três clínicos, três pediatras e um cirurgião, são atendidas diariamente cerca de 300 pessoas, com maior fluxo também registrado às segundas-feiras.

Nas salas e consultórios das UPAs, pessoas atendidas confirmaram que são notáveis as melhorias no atendimento. Maria de Lucia Souza Silva, 57 anos, é hipertensa e diabética e por sentir dores no corpo e sofrer de febre reumática, durante a manhã da quarta-feira, procurou a UPA Nestor Piva. Para ela o atendimento recebido merece elogios. "Assim que cheguei fui bem recebida pelos médicos e enfermeiros. "Eles foram educados atenciosos. Não houve demora no meu atendimento. Achei nota 10 a atuação da equipe do Nestor Piva. Está melhor que muitas clínicas particulares", observou.

Familiares de pacientes que estão há dias internados na UPA Nestor Piva também relatam o bom funcionamento da Unidade de Urgência. Este é o caso de Ilma Santana de Menezes, cuja mãe foi acometida pela pneumonia e vinha sentindo-se mal. Ela procurou atendimento na UPA, onde está internada há oito dias sob a observação da equipe de médicos da UPA. "Assim que minha mãe chegou aqui foi logo levada para a sala de observação e tratada muito bem. Quando apresentou melhoras foi transferida para a enfermaria".

Ainda de acordo com Ilma Santana, a mãe vem recebendo toda a assistência que precisa, desde o dia que chegou à unidade. "Quando procuro saber sobre a saúde dela, os médicos e as enfermeiras me respondem tudo com educação. Não tenho do que reclamar de nada. O prontuário dela está perfeito, as medicações são dadas todas nas horas exatas. Eles olham se minha mãe está sentindo alguma dor, ajudam a dar banho, dão uma alimentação leve. Espero que continue assim, pois tem sido uma atenção excelente. A Saúde está seguindo o caminho certo. Há dois anos eu vim aqui na UPA com minha mãe e a forma como ela foi atendida desta vez foi bem melhor", ressaltou.

O atendimento pediátrico ofertado pela UPA Zona Sul também tem surpreendido os usuários. É o caso de Iolanda dos Santos, 21 anos, que é mãe de Caíque, garoto de seis meses que sofreu de febre e infecção urinaria e permaneceu sete dias internado na Unidade. Iolanda contou que, desde o dia em que chegou, o filho dela tem recebido todo o atendimento necessário, de enfermeiras e médicos. "As medicações e enfermarias estavam em ordem. Até mesmo quando ele precisou de uma troca de fralda, isso tinha na unidade. Causou-me uma boa impressão e recomendo para as demais mães que, em caso de emergências, tragam os filhos para a unidade 24 horas. Além de atenção às crianças, quem está acompanhando o paciente também é bem recebido, pois a cada troca de medicamento, a equipe também avisa a gente. Na unidade também vi medicação, exames, tudo à disposição da criança", observou.

Turistas que visitam Aracaju e precisam de um atendimento emergencial também têm se surpreendido com a UPA Zona Sul. Maria de Lourdes dos Santos, que é moradora de Salvador e está na capital sergipana para visitar familiares, relata que por conta de uma crise de vesícula buscou atendimento na Unidade de Urgência. "Fui muito bem recebida, cheguei a ficar surpresa porque em muitos serviços públicos de saúde da minha cidade nós não encontramos atendimentos do SUS assim bem prestados. Nos quatro dias em que estive internada tinha tudo, medicações. Os médicos que foram atenciosos em passar o prontuário, mesmo os servidores terceirizados aqui tem me tratado bem. Vi que as pessoas são recebidas e medicadas com atenção e rapidamente recebem alta", afirmou.

Profissionais aprovam

Para o médico Lucas Lima, que é especialista em clínica e cirurgia, a intervenção feita pela Secretaria da Saúde nas UPAs durante os últimos meses tem trazido reflexos positivos. "Antigamente a porta da UPA Nestor Piva era sempre cheia e pessoas atendidas faziam várias reclamações. Sentimos que houve mudança. Com certeza a chegada de novos medicamentos e colegas de profissão se somaram à equipe e fizeram com que o atendimento melhorasse significativamente", explicou.

Para o médico André Brandão, a chegada de medicações e as mudanças de gestão trouxeram alívio para quem trabalha nas unidades. "De uma maneira geral, houve uma melhora importante, pois reduziu muito a pressão dos profissionais que estão diariamente na UPAs. A gente poder contar com mais medicamentos e alguns exames que até pouco tempo não estavam disponíveis, é bom para a equipe tanto quanto para os pacientes".

A pediatra Sandra Pereira dos Santos Evangelista, que atua na UPA da Zona Sul, destacou os esforços da Administração Municipal para que o serviço funcione plenamente. "O trabalho que está sendo feito pela Prefeitura, ouvindo os profissionais para saber o que a Unidade precisa é importante, pois é bom ouvir a opinião de todo mundo, tanto do usuário quanto dos profissionais, pois a gente que está aqui todos os dias, o tempo todo, conhece melhor o funcionamento do que quem procura esporadicamente o serviço".

Segundo a pediatra a rotina de atendimento infantil é intensa. "Há momentos que o plantão está calmo, mas de repente fica bem tumultuado", destacou Sandra Pereira, enfatizando a necessidade de manter o plantão pediátrico sempre com três profissionais. "Desta forma poderemos continuar realizando um bom atendimento à população", concluiu.