Secretário visita alas de hidratação para pacientes com dengue no interior

Canal Viva Bem


Foto: Márcio Garcez/Saúde


O secretário de Estado da Saúde, Rogério Carvalho, aproveitou o feriado desta segunda-feira, 21, para acompanhar de perto o atendimento que está sendo realizado a pacientes com dengue nos hospitais de Nossa senhora da Glória, Itabaiana, Nossa Senhora do Socorro, Lagarto e Ribeirópolis. A visita serviu para analisar a situação de cada cidade e definir novas medidas de apoio aos municípios, que serão anunciadas em reunião com os prefeitos sergipanos às 14h desta terça-feira, 22, no auditório do Hospital de Urgência de Sergipe Governador João Alves Filho (HUSE).


Durante as visitas, o secretário conversou com usuários e profissionais de saúde e verificou se os hospitais estão seguindo corretamente os protocolos de acolhimento e tratamento da dengue recomendados pela Secretaria de Estado da Saúde (SES). Dentre outras coisas, o protocolo prevê a hidratação oral de pacientes com a suspeita da doença ainda no acolhimento, a realização da prova do laço e a notificação de todos casos comprovados na unidade.


Acompanhado da secretária adjunta da Saúde, Mônica Sampaio, do coordenador da Rede de Atenção Hospitalar, Gilberto dos Santos, da gerente de zoonoses da SES, Sidney Sá, da gerente da Rede de Atenção Básica, Cristiane Carvalho, e da coordenadora de Comunicação da SES, Nadja Araújo, o secretário observou de perto a estrutura disponibilizada pelos hospitais exclusivamente para hidratação de pacientes com dengue. “Constatamos uma situação próxima da normalidade, com o atendimento dentro do padrão esperado”, informou o secretário.


De acordo com ele, problemas de demora no atendimento por conta do grande fluxo de pessoas estão sendo solucionados com a implantação do acolhimento com a avaliação do risco, que determina a prioridade do atendimento para os casos mais graves. “É possível diminuir nas recepções o sofrimento das pessoas com a introdução do acolhimento e abordagem sindrônica da dengue. Com isso, a gente deve diminuir o tempo de espera e melhorar o diagnóstico e a avaliação de risco das pessoas que estão nas urgências”, avaliou Rogério.


Segundo o secretário, as visitas deram uma dimensão mais objetiva de como os hospitais regionais estão atendendo à demanda de casos de dengue. “Estas observações serão muito úteis para que possamos ter um diálogo mais preciso com os prefeitos e secretários municipais de saúde sobre a situação do Estado”, comentou Rogério Carvalho.


Socorro


As visitas do secretário às unidades hospitalares do interior do Estado começaram pelo Hospital Regional de Nossa Senhora do Socorro que, entre os visitados, demonstrou ser a unidade com o menor fluxo de pacientes. De acordo com o diretor do Hospital, o cardiologista Fábio Serra, embora os atendimentos tenham praticamente triplicado, saindo de 120 para 350 atendimentos por dia, o hospital continua mantendo uma estrutura resolutiva e bem organizada para cuidar dos casos de dengue com 20 poltronas exclusivas para hidratação venosa, sendo que dez delas somente para crianças.


Glória


No Hospital Regional de Nossa Senhora da Glória, Rogério Carvalho visitou as alas de internamento da unidade, de hidratação e de pediatria e observou a realização da estratificação do risco no acolhimento. De acordo com a diretora da unidade, Adriana Evangelista, os casos de dengue fizeram dobrar o número de atendimentos gerais no hospital, saindo de 150 por dia, para 280.


Mesmo dispondo de três salas exclusivas para hidratação de pacientes com dengue, sendo duas delas equipadas com seis berços e outra equipada com 8 poltronas para hidratação venosa, a diretora da unidade diz ainda aguardar a implantação de alas de hidratação nas unidades municipais de saúde de Glória e de municípios circunvizinhos para diminuir a sobrecarga que o hospital enfrenta.


Ribeirópolis


Segundo o diretor do Hospital de Pequeno Porte de Ribeirópolis, Fábio Pinheiro, os profissionais do hospital têm seguido corretamente as orientações e os protocolos recomendados pela SES, realizando a hidratação oral ainda no acolhimento, a prova do laço e notificando os casos comprovados. A unidade disponibilizou oito leitos exclusivos para acompanhamento dos casos mais graves de dengue. “Somente aqui, notificamos algo em torno de 140 casos confirmados de dengue em apenas uma semana, sendo 70 deles de pacientes moradores daqui de Ribeirópolis”, comenta Fábio Pinheiro.


Itabaiana


Dos visitados, o Hospital Garcia Moreno foi apontado pelo secretário como o de maior fluxo de pacientes. Ainda assim, a unidade apresenta uma estrutura bem organizada para hidratação de pacientes com dengue, equipada com 30 poltronas de hidratação. “Por receber pessoas de várias cidades da região e funcionar bem, várias pessoas procuram o hospital de Itabaiana porque o tem como referência. A organização do fluxo por meio do acolhimento de risco para pacientes com suspeita de dengue vai melhorar muito o atendimento lá também”, enfatizou o secretário Rogério Carvalho.


Lagarto


A última unidade a ser visitada foi o Hospital Nossa Senhora da Conceição, em Lagarto, onde cerca de 200 pessoas são atendidas por dia com o diagnóstico da dengue. Embora não integre a Rede de Atenção Hospitalar da Secretaria de Estado da Saúde, Rogério Carvalho constatou que a unidade vem seguindo as orientações da SES, realizando a hidratação oral dos pacientes no acolhimento e a notificação dos casos na unidade.


Na unidade hospitalar de Lagarto, o secretário detectou ainda a falta de um serviço organizado exclusivamente para pacientes com dengue e reforçou junto à direção do hospital a necessidade da participação na reunião com secretários de saúde e prefeitos na tarde desta terça-feira, 22.