Médicos realizam cirurgia ortopédica inédita em Sergipe

Canal Viva Bem


Pela primeira vez na história da medicina sergipana, uma cirurgia ortopédica contou com a utilização de navegador. O equipamento, fabricado nos Estados Unidos e especialmente projetado para permitir maior precisão na operação, foi usado em uma operação para resolução de um caso de orteoartrose, um tipo de artrite que faz com que a cartilagem fique cada vez mais seca e quebradiça.


Os ortopedistas Maurício Barreto e Reuthemann Madruga foram os responsáveis pela cirurgia, realizada no Hospital Renascença, no último dia 3 de agosto. A paciente Maria José, de 56 anos, foi a primeira a ser operada pela nova técnica. Ela já teve alta, está em processo de recuperação e passa bem.


De acordo com Maurício, a máquina orienta desde cortes feitos nos ossos para a colocação da prótese até os cálculos dos tamanhos dos pinos que serão implantados para fixação, garantindo mais precisão e rapidez na cirurgia.


“A cirurgia funciona a partir de um computador ligado a uma câmera e a sensores infra-vermelhos. Na cirurgia tradicional, temos um margem de erro de até cinco graus no alinhamento da prótese. Com a ajuda da máquina conseguimos uma margem de erro de apenas meia grau”, explica.


Segundo Reuthemann, o navegador, mesmo em avançados centros internacionais, tem pouco tempo de utilização, o que coloca Sergipe na rota do pioneirismo.


“A técnica apresenta diversas vantagens para os médicos e pacientes. Para o cirurgião, ela orienta para maximizar a precisão de posicionamento do implante. Para o paciente, permite uma recuperação mais rápida, e reduções no tempo de permanência no hospital, de embolia sistêmica e dos riscos de transfusão”, informa.


Com a precisão da cirurgia guiada, é possível também aumentar a vida útil das próteses. A máquina é usada também para a reconstrução de ligamentos do joelho e colocação de próteses no quadril.