Intoxicação alimentar afeta mais de mil pessoas em 4 meses

Canal Viva Bem


Desde o dia 10 de abril, já foram registrados mais de mil casos de intoxicação alimentar nos Estados Unidos, forçando autoridades sanitárias do país a tomar medidas drásticas como confiscar carregamentos de pimenta jalopeño e outros vegetais comumente utilizados em molhos frescos, principalmente os destinados a restaurantes. Além deste tipo de pimenta – a preferida nas receitas mexicanas – estão na lista negra dos norte-americanos a pimenta serrano, o tomate, o alho poro, o coentro e a cebola. No Brasil, ainda não há estudos nem controle sobre intoxicação alimentar, problema que é rigorosamente observado nos Estados Unidos, país no qual cerca de 5,2 mil pessoas morrem por ano por infecções causadas pela Salmonela.


As atenções estão voltadas para os alimentos frescos (não há registro de nenhuma intoxicação após consumo de produtos industrializados), o que leva as autoridades a se preocupar com a possibilidade de contaminação cruzada, ou seja, quando um alimento é contaminado por outro – pela faca, taboa de corte, pote, tigelas e etc. Grande vilã quando se fala em intoxicação alimentar, a bactéria Salmonela é comumente encontrada em aves, mas não oferece perigo se o alimento for bem cozido, frito ou assado, pois microorganismos geralmente não resistem a altas temperaturas e morrem no preparo do alimento. No entanto, o grande problema é quando os utensílios utilizados para fatiar a carne são usados depois para cortar alimentos que não serão levados ao fogo, como é o caso de verduras e legumes que serão consumidos crus.


Alguns cuidados podem evitar a contaminação cruzada e a higiene é o principal deles. É preciso lavar muito bem os utensílios utilizados na cozinha e redobrar a atenção com alimentos que são consumidos crus. Também há no mercado uma ampla gama de produtos com proteção antimicrobiana desenvolvida pela Microban, empresa norte-americana que incorpora essa tecnologia em utensílios domésticos utilizados na culinária, promovendo maior segurança no preparo, transporte e armazenamento de alimentos, pois ela inibe a proliferação de fungos e bactérias durante toda a vida útil do produto, mesmo quando há rachaduras ou fissuras, reduzindo assim a possibilidade de contaminação. A tecnologia Microban não substitui a necessidade de limpeza, porém torna o produto mais fácil de limpar, higiênico e seguro.


A Plasútil possui a proteção Microban nos potes plásticos, pranchas de corte e nas linhas infantis Gira Gira e Baby – que inclui todos os pratos, tigelas, porta leite em pó, talheres, copos e canequinhas infantis.


Líder em seu seguimento, a Tramontina incorpora a tecnologia Microban em suas tábuas de corte para culinária, linha de talheres infantis Catty Coys e cabos de facas da linha profissional Máster além das linhas Ultra-corte e Ônix.


A tecnologia Microban também está disponível para quem leva as refeições para o local de trabalho ou para o passeio, que muitas vezes não oferecem as condições ideais para limpeza após as refeições, fazendo com que restos de alimentos permaneçam por horas dentro de um recipiente que possui as condições ideais para o crescimento de microorganismos (temperatura, umidade e alimento). Estes microorganismos fixam-se em fissuras microscópicas do recipiente, que posteriormente irá armazenar novos alimentos, havendo grande risco de contaminação, além de mau cheiro e alteração de sabor. Para prevenir esses problemas, a Soprano oferece a proteção Microban em seus termopratos da linha Plus.


Salmonela


Segundo a instituição norte-americana Centers for Disease Control and Prevention (CDC), a Salmonela é responsável por 1,4 milhão de casos de intoxicação alimentar por ano, ocasionando cerca de 5,2 mil óbitos somente nos Estados Unidos. Os sintomas da doença – febre, náuseas, vômito e diarréia – aparecem 12 horas após a ingestão do alimento contaminado com a bactéria, que fixa-se na parede do intestino. Ela pode ser transmitida por qualquer alimento, porém os mais comuns são ovos, leite e carnes – principalmente de frango.


Tecnologia Microban


A Microban é uma multinacional norte-americana, líder mundial em tecnologia de soluções antimicrobianas, que utiliza ingredientes aprovados para contato seguro com pessoas, alimentos e animais. No Brasil está disponível em diversos produtos como pranchas de corte e potes plásticos para culinária (Plasútil), cabos de facas, tábuas de corte culinário e talheres infantis Catty Toys (Tramontina), termopratos (Soprano), alicates de cutícula (Merheje), inaladores e umidificadores (NS), GyoClean Impermeabilizante, Kit Epóxi e BioProtege Selante Aerosol (Gyotoku), assentos sanitários (Deca), pisos laminados (Durafloor), MDF e MDP (Duratex), superfícies de quartzo (Silestone), acrílicos para banheiras e ofurôs (Lucite) e peças de madeira (Origin). Para a indústria há diversos equipamentos, como botas industriais em PVC (Italbotas), laminados para revestimentos de caminhões e câmaras frigoríficas (Fibralit), pisos industriais (Basf) e esteiras transportadoras de alimentos (Rexnord), entre outras marcas.


Aprovada pelo SCF (Comitê Científico para Alimentos da União Européia), a tecnologia antibacteriana Microban é a primeira no mundo a ter fórmulas aprovadas para contato seguro com alimentos pela NSF (National Sanitation Foundation – EUA) e NSF do Brasil, aplicações em produtos registrados na EPA (Agência de Proteção Ambiental) e ingredientes aprovados pela FDA (Food and Drug Administration – EUA). Possui testes de eficácia feitos por laboratórios independentes ao redor do mundo, que comprovam a sua eficiência na inibição do crescimento de bactérias e fungos na superfície dos produtos.