Hemose registra aumento de 75% no cadastro de doadores de medula óssea

Canal Viva Bem


Foto: Márcio Garcez


Esclarecendo dúvidas e desfazendo mitos, o Centro de Hemoterapia de Sergipe (Hemose) tem conseguido por meio de palestras ampliar o número de pessoas cadastradas para doação de medula óssea. Só na última semana, 34 possíveis doadores se cadastraram no hemocentro. Durante o mês de julho já foram inscritas 140 pessoas para doação, e a expectativa é que este número aumente ainda mais esta semana. Em média, o Estado vinha registrando 80 novos cadastros por mês.


O médico Carlos Guimarães, diretor técnico do Hemose, destaca que o crescimento está associado ao trabalho educativo que os técnicos da unidade vêm desenvolvendo junto aos doadores de sangue. “Toda segunda e terça-feira, nossa equipe de Serviço Social realiza palestras e orienta o público sobre os procedimentos para doação de medula. Nosso papel é reforçar a importância desse ato e oferecer os meios para que ele aconteça”, comenta o diretor.


Para realizar o cadastro, são retirados 10ml de sangue do doador, que precisa ter entre 18 e 55 anos e apresentar bom estado de saúde. Após a doação, o sangue vai para o Registro de Doadores de Medula Óssea (Redome) do Instituto Nacional do Câncer (Inca), um banco onde ficam disponíveis os dados dos doadores para o mundo inteiro. Quando um paciente necessita, esse banco é consultado na busca por compatibilidade.


Caso seja encontrado, o doador é consultado sobre a vontade de fazer a doação de medula. “Nosso banco de coleta está interligado ao Centro de Hemoterapia de Pernambuco (Hemope), em Recife, como forma de facilitar o acesso às doações. A coleta é feita em um centro cirúrgico, com anestesia, sem dor alguma e no mesmo dia o doador vai para casa”, acrescenta o médico.


A medula óssea é a matriz do sangue e se localiza na parte interna dos ossos, semelhante ao tutano dos ossos do boi. Nela estão as células-mãe que dão origem aos glóbulos vermelhos, brancos e plaquetas do sangue. Os pacientes que necessitam de doação têm doenças que comprometem a produção de sangue pela medula, a exemplo de leucemia e aplasia de medula óssea.


O principal entrave é a dificuldade de compatibilidade que existe. A chance de um paciente encontrar um doador compatível entre irmãos é de até 25%. Entre pessoas sem graus de parentesco, a chance é de um para um milhão.


Seja um doador


O cadastro para doação de medula óssea no Hemose acontece sempre às segundas e terças-feiras, das 7h às 17h30. Para mais informações sobre o cadastro de doadores, basta entrar em contato com o Serviço Social do hemocentro pelo telefone (79) 3259-3174. A unidade está localizada no Centro Administrativo Augusto Franco, bairro Capucho, próximo ao Hospital de Urgência de Sergipe Governador João Alves Filho (HUSE).