Hemolacen realiza exames de detecção e controle de tuberculose

Canal Viva Bem


Fotos: Wellington Barreto/SES



O laboratório de sorologia e virologia do Centro de Hemoterapia e Laboratório Central de Saúde Pública de Sergipe (Hemolacen) realiza mensalmente cerca de 250 testes de sensibilidade para detectar a permanência da tuberculose ou efeito de medicamentos utilizados no tratamento da doença, controle de qualidade e leitura de lâminas de cultura em pacientes da capital e mais 30 municípios sergipanos. O trabalho é feito diariamente por uma equipe de 10 profissionais composta por biólogo, farmacêuticos, biomédicos e técnicos.


 


Em 2006, Sergipe notificou 656 casos de tuberculose e em 2007 foram contabilizadas 524 contaminações em todo o Estado. “Os casos da doença aumentam no período do inverno, quando a Secretaria de Estado da Saúde intensifica sua ação junto aos municípios e aos presídios de Areia Branca, Tobias Barreto, São Cristóvão e Lagarto, onde são realizados os exames para detectar a bactéria causadora da doença”, disse o biólogo Regivaldo Rocha, gerente do laboratório.


 


Sintomas


A tuberculose é uma doença perigosa, cujas causas estão relacionadas às condições de vida da população. Seu principal sintoma é a tosse prolongada por mais de três semanas. A proliferação da doença se dá pelo ar e o tratamento dura em média seis meses.


 


Sinan


O Dia Nacional de Combate à Tuberculose foi comemorado no último sábado, 17. No Brasil, o Sistema de Informações de Agravos de Notificação (Sinan) realiza pesquisas e notificações da tuberculose para subsidiar análises do perfil da morbidade e contribuir para a tomada de decisões nos níveis municipal, estadual e federal. O Sinan é o principal instrumento de coleta de dados das doenças de notificação compulsória e outros agravos.