EXPANSÃO DO CRÉDITO

Canal Viva Bem


Carteira comercial da Caixa cresce 43% em comparação com 2007


A Caixa Econômica Federal apresentou, em 2008, crescimento em todos os segmentos e as operações de crédito foram o carro-chefe dessa ampliação. O banco obteve lucro de R$ 3,9 bilhões, 62,3% superior em relação a 2007, quando o banco alcançou a casa dos R$ 2,4 bilhões.


O saldo das operações de crédito da instituição passou de R$ 55,8 bilhões para R$ 80,1 bilhões (crescimento de 43,3% em relação a 2007) e as contratações chegaram a R$ 105,4 bilhões, incluídos os repasses. No crédito comercial, o destaque foi a carteira de pessoa jurídica, com saldo de R$ 15,1 bilhões, 87,2% a mais do que o registrado em 2007, alcançando 3% de participação no mercado.


O desempenho de 2008 foi incentivado ainda pelo resultado da intermediação financeira de R$ 11,2 bilhões, 25% a mais do que no ano anterior. Títulos e valores mobiliários tiveram uma alta de 28,8%, com R$ 17,4 bilhões.


Os índices de inadimplência demonstram que a CAIXA tem uma rígida atuação na gestão de controle e risco. Nos financiamentos habitacionais, por exemplo, o índice de 2,1% registrado no final de 2007 caiu para 1,7% em 2008. Já no crédito comercial, a queda foi de 1,4 p.p., passando de 5,4% (dezembro 2007) para 4% (dezembro 2008).


Segundo pesquisas do Banco Central, os bancos públicos foram os responsáveis pelo crescimento do crédito no país em 2008. O aumento é percebido também primeiro mês de 2009, quando a CAIXA bateu novo recorde em financiamento habitacional. Neste período, foram assinados 45.975 contratos no valor de R$ 1,91 bilhão, que representa um crescimento de 155% em relação ao mesmo período de 2008. Historicamente, este é o melhor janeiro da CAIXA em volume de contratação do crédito imobiliário. Até o fim do ano, o banco estima aplicar em torno de R$ 27 bilhões.


Outro fator que influenciou o resultado foi o aumento das receitas de prestação de serviços em 7,3% (R$ 6,5 bilhões), resultado da expansão em 8,8% da base de clientes. Hoje a CAIXA possui 47 milhões de correntistas e poupadores.


Os valores dos repasses com tributos e encargos sociais à União, Estados e Municípios somaram R$ 2,9 bilhões. Foi destinado ao Tesouro Nacional R$ 1,6 bilhão entre dividendos e juros sobre capital próprio.


Os ativos totais da instituição alcançaram o saldo de R$ 295,9 bilhões e o patrimônio líquido alcançou o montante de R$ 12,7 bilhões, expansões de 16,7% e de 20%, respectivamente, frente a igual período de 2007. O índice de Basiléia em dezembro foi de 20,6%.


O crescimento do crédito foi acompanhado da melhoria na qualidade das operações com 69,8% dos financiamentos classificados nas faixas AA e B, ante 67,3% registrados em 2007.


Crédito


O saldo total das operações de crédito atingiu R$ 80,1 bilhões. Somente as operações comerciais totalizaram R$ 28,9 bilhões, 50,8% a mais do que em 2007. A carteira de pessoa física alcançou saldo de R$ 13,7 bilhões, resultado 24,3% maior do que o registrado no mesmo período do ano anterior.


PAC


Desde o lançamento do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), em 2007, 4.791 projetos já foram entregues (99,2% sob a gestão da CAIXA). Desse total, 95,5% foi contratado, num investimento de R$ 29,21 bilhões. Das operações contratadas, 1.321 foram iniciadas, num valor de R$ 20,92 bilhões.


Foram desembolsados até o momento (06/02) R$ 1,73 bilhão (acrescenta-se a contrapartida do proponente). Somam-se ainda as operações de financiamento habitacional que totalizaram mais R$ 22,6 bilhões em 2008 e R$ 14,5 bilhões em 2007.


O PAC habitação e saneamento e infra-estrutura já desembolsou, em valor de investimento (repasse, financiamento e contrapartida) na CAIXA, R$ 59,8 bilhões. Em 2007 foram R$ 22,7 bilhões e em 2008 foram R$ 37,1 bilhões.


Desenvolvimento Urbano


A carteira habitacional apresentou saldo de R$ 45,1 bilhões, valor 38,8% maior do que o registrado no mesmo período de 2007. As contratações somaram R$ 23,2 bilhões, evolução de 54,6% em relação ao ano anterior, sendo R$ 20,9 bilhões em financiamentos, R$ 1,3 bilhão em subsídios do FGTS, R$ 442 milhões em arrendamentos e R$ 617 milhões em consórcios. Outros R$ 1,1 bilhão foram repassados para o Orçamento Geral da União.


Os financiamentos habitacionais com recursos do FGTS lideraram as contratações. Foram R$ 11,3 bilhões emprestados, incluindo os subsídios. Com recursos próprios (SBPE), a CAIXA emprestou R$ 10,7 bilhões. Ao todo, a carteira cresceu 86,4% em relação ao mesmo período de 2007.


O desembolso de saneamento e infraestrutura registrou R$ 8,7 bilhões, com valor 51,9% maior do que no ano anterior (R$ 5,4 bilhões). Foram R$ 3,8 bilhões em financiamentos e R$ 4,9 bilhões em repasses.


Depósitos e recursos administrados


O saldo de depósitos alcançou R$ 165,5 bilhões, um incremento de 16,7% em relação ao ano de 2007. O crescimento se deve à expansão dos negócios e da base de clientes.


A caderneta de poupança alcançou 36,9 milhões de contas. O saldo da carteira foi de R$ 92,5 bilhões, representando 22,4% de aumento e elevando a participação da CAIXA no mercado para 34,22%.


Os depósitos à vista atingiram, em 2008, saldo de R$ 13,2 bilhões, ante R$ 11,6 bilhões em 2007. Nesta modalidade de captação a CAIXA obteve aumento de 10% de participação no mercado.


A conta CAIXA Fácil fechou o ano com 6,8 milhões de contas, o que reafirma a sua função de promover a inclusão bancária, favorecendo os beneficiários de diversos programas sociais, especialmente o Bolsa Família.


Os Fundos de Investimentos administrados pela instituição tiveram uma captação líquida de R$ 2,8 bilhões, atingindo patrimônio líquido de R$ 76,5 bilhões.


Programas de transferências de renda


Como agente operador dos programas de transferência de renda do Governo Federal, a CAIXA realizou 133 milhões de pagamentos de benefícios. O volume de recursos distribuídos totalizou R$ 10,8 bilhões, alta de 18,5% em relação a 2007.


Por meio do programa Bolsa Família, principal programa social de transferência de renda do Governo Federal, a CAIXA efetuou o pagamento de mais de 126 milhões de benefícios, o que representa R$ 10,3 bilhões. Desde 2008, os beneficiários do programa têm acesso à conta bancária e ao microcrédito produtivo orientado. A iniciativa incentiva as ações de empreendedorismo.


No ano, foram pagos 55,6 milhões de benefícios, tais como seguro-desemprego, abono salarial, PIS quotas e rendimentos, representando cerca de R$ 20,8 bilhões.


Nesse mesmo período, foram efetuados saques do FGTS no valor de R$ 43,6 bilhões por mais de 29 milhões de trabalhadores e pagos 54 milhões de benefícios do INSS no montante de R$ 33,8 bilhões, um aumento de 13,5% em comparação a 2007.


Investimentos sociais, esportivos e culturais e socioambiental


Como patrocinadora da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), do Comitê Paraolímpico Brasileiro (CPB), da Confederação Brasileira de Ginástica (CBG) e da Confederação Brasileira de Lutas Associadas (CBLA), a CAIXA investiu R$ 15,3 milhões no ano.


Na área cultural, foram mais de R$ 36 milhões destinados a patrocínios, com destaque para os eventos selecionados, via edital público, para ocupação dos espaços da CAIXA Cultural em Brasília, Curitiba, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo. Festivais de teatro e dança que realizados em todo o país também receberam o apoio do banco.


Em responsabilidade socioambiental, o destaque é para o acordo de cooperação com o Ministério do Meio Ambiente e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA). O acordo estimula o uso de madeira de origem legal em obras e empreendimentos financiados pelo banco.


Rede de atendimento e colaboradores


A CAIXA conta com 25 mil pontos de atendimento e 93,9 mil colaboradores, entre empregados concursados, estagiários e adolescentes aprendizes. Somente em 2008, a CAIXA abriu 41 agências e PABs e investiu R$ 70 milhões em programas de capacitação, treinamento e desenvolvimento.