Estresse no trabalho

Canal Viva Bem


O estresse está cada vez mais presente na vida dos trabalhadores de empresas de todo o mundo. No Brasil, esse mal atinge 70% dos profissionais. Desses, 30% se enquadram no estágio mais avançado de estresse, o burnout, que pode causar depressão e exaustão física e mental.


 


A pesquisa realizada pela divisão nacional da International Stress Management Association (Isma), aponta as mulheres como mais estressadas do que os homens. Segundo Ana Maria Rossi, presidente da Isma, as mulheres acabam se sobrecarregando no trabalho para mostrar que são tão capazes e competentes quanto os homens. Já eles, estão mais preocupados com o crescimento profissional. Entretanto, elas conseguem lidar melhor com a situação. “As mulheres verbalizam mais, procuram ajuda mais rapidamente e costumam praticar técnicas de relaxamento. Tudo que a maioria dos homens não faz”, explica Rossi.


 


Os motivos que desencadeiam o estresse são atribuídos às incertezas dos profissionais das empresas privadas. O medo de demissão ou a perda de cargo acabam levando à sobrecarga de tarefas, aumento das horas trabalhadas e, conseqüentemente, ao estresse.


 


De acordo com Rossi o estresse sempre estará presente na vida dos profissionais. Ele é uma resposta natural do corpo a reações exteriores que influenciam na vida profissional e pessoal. Essas reações podem ser boas, a ponto de estimular a pessoa, ou ruins, intimidando-as e afugentando-as. O ideal é saber gerenciar e administrar para que a convivência com ele possa ser harmônica.


 


Tomar algumas atitudes simples pode ajudar a conviver melhor com o estresse no trabalho. Respeitar o horário de dormir, praticar atividades físicas regularmente e não deixar de sair de férias são algumas dicas para amenizar os seus efeitos.


  


Fatores desencadeantes:


– Incerteza sobre a carreira: medo de demissão por causa de corte de custos, fusões ou aquisições da empresa e falta de perspectiva profissional.


– Falta de controle: dificuldade de controlar recursos financeiros e materiais.


– Sobrecarga de trabalho: acúmulo de tarefas.


– Falta de tempo: aumento das horas de trabalho.


– Estresse interpessoal: baixa auto-estima, falta de apoio e atritos nas relações interpessoais.


 


Fonte: Portal Unimed