Células-tronco no combate a doenças onco-hematológicas, reumáticas e diabetes

Canal Viva Bem


Várias pesquisas envolvendo o uso de células-tronco no combate a diversas doenças vêm sendo desenvolvidas em inúmeros países e no Brasil também. Os resultados alcançados até o momento, trazem ânimo para quem é portador de doenças crônicas, no que diz respeito a minimizar os efeitos do mal que o afeta. Podemos citar com exemplo os portadores de doenças onco-hematológicas e de diabetes mellitus I. A utilização da terapia com células-tronco nestas duas áreas serão debatidas durante o III Congresso da Sociedade Médica de Sergipe, que começa na noite desta quinta-feira, 18/11, Dia do Médico, no auditório Atalaia, no Centro de Convenções de Sergipe.


 


“Transplante Autólogo e Alogênico em Doenças Onco-Hematológicas” será o tema da palestra a ser proferida pelo Dr. George Maurício Navarro Barros, de São Paulo, abrindo o segundo dia do evento. “Células-Tronco é o tema central do congresso. Nós o escolhemos porque representa o grande avanço da Medicina neste século, além de reunir praticamente todas as especialidades médicas”, informou Tânia Andrade, diretora científica do evento.


 


Também de São Paulo, o congresso contará com a participação da Drª. Daniela Aparecida de Moraes. Formada pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto- Universidade de São Paulo, com residência em Clínica Médica e Reumatologia, ela possui título de especialista pela Sociedade Brasileira de Reumatologia, é mestre em Clínica Médica pela universidade de São Paulo e pós-graduanda (doutorado) pela Universidade de São Paulo.


 


Drª. Daniela Moraes proferirá duas palestras, uma sobre o “Transplante Autólogo de Células Tronco para Diabetes Mellitus tipo I” e a outra sobre o “Transplante Autólogo de Células Tronco para Doenças Reumáticas”. Essas doenças, definidas como auto-imunes têm em sua maioria etilogia desconhecida. Podem surgir quando há uma falha no mecanismo de auto-tolerância, e clones de linfócitos auto-reativos entram em ação.


 


Através de mecanismos celulares e tumorais, ocorre a destruição dos tecidos de vários órgãos e sistemas, resultando em doenças neurológicas como a esclerose múltipla, doenças reumáticas como lúpus eritematoso sistêmico, esclerose sistêmica, artrite reumatóide, e doenças endócrinas como o diabetes mellitus do tipo I. A maioria destas doenças são tratadas com drogas imunossupressoras, que podem trazer o controle, bem como o aparecimento de efeitos colaterais indesejáveis. No entanto, uma parcela destas doenças são refratárias ao tratamento convencional.  O transplante surgiu como opção terapêutica para estes casos. “Vão estar reunidos aqui em Aracaju, 11 pesquisadores sobre células-tronco de todo o país. Estes três dias serão, se dúvida alguma, de grande importância científica para os médicos sergipanos”, relatou Tânia Andrade.


 


A expectativa da organização é reunir cerca de 600 participantes, entre médicos de diversas especialidades, outros profissionais da área de saúde e também acadêmicos. Mais informações sobre o congresso podem ser obtidas no site www.exitoeventos.com.br/celulastronco. Neste endereço eletrônico, também podem ser feitas as inscrições.


 


70 anos da Somese


O III Congresso da Sociedade Médica de Sergipe prossegue até o meio-dia do dia 20 de outubro. As festividades em comemoração aos 70 anos da entidade serão retomadas a partir das 20 horas do mesmo dia, no Teatro Tobias Barreto, onde haverá o lançamento do catálogo “70 anos da Somese”, editado pela jornalista Alexandra Brito, com a colaboração da comunicadora Magna Santana, através da Âncora Comunicação, além de uma breve solenidade, seguida da apresentação do músico Wagner Tiso, acompanhado pela Orquestra Sinfônica de Sergipe.


 


Após a solenidade no teatro, a comemoração prosseguirá para médicos associados, familiares e convidados, no pavilhão do Centro de Convenções de Sergipe, onde será servido um requintado buffet e a noite será animada pela Orquestra Veneza, de Recife. Os associados devem retirar os convites na sede da Somese, a rua Guilhermino Rezende, 426 – São José. Quem não for associado, pode adquirir o ingresso por R$ 35.