Câncer de próstata: são estimados 61.200 novos casos no Brasil em 2016

Canal Viva Bem

O mês de novembro chegou e com ele a Campanha Mundial de Prevenção ao Câncer de Próstata, o “Novembro Azul”, reforçando a importância de o homem cuidar da sua saúde. Dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA) estimam 61.200 casos novos de câncer de próstata para o Brasil em 2016. Esses valores correspondem a um risco estimado de 61,82 casos novos a cada 100 mil homens.


A estatística do câncer de próstata no Brasil segue a estatística mundial, ou seja, é o câncer mais comum nos homens (se não considerar os tumores de pele não melanoma). “Como é um tumor que acomete homens a partir dos 50 anos, sua incidência tende a aumentar com o aumento da expectativa de vida da população masculina, que hoje no Brasil é em torno de 73 anos. É esperado que a incidência de doenças da terceira idade aumente com a idade”, explica o oncologista clínico da Onco Hematos, Adolfo Scherr.

Ainda segundo os dados do INCA, sem considerar os tumores de pele não melanoma, o câncer de próstata é o mais incidente entre os homens em todas as Regiões do país, com 95,63/100 mil na Sul, 67,59/100 mil na Centro-Oeste, 62,36/ 100 mil na Sudeste, 51,84/100 mil na Nordeste e 29,50/100 mil na Norte. O oncologista ressalta que é preciso levar em consideração também a maior procura dos homens por serviços de saúde para realização de check-up. “O que favorece o diagnóstico de doenças muitas vezes indolentes como o câncer de próstata”, assegura Adolfo.

Em sua fase inicial, o câncer da próstata tem evolução silenciosa. “Muitos pacientes não apresentam nenhum sintoma ou, quando apresentam, são semelhantes aos do crescimento benigno da próstata (dificuldade de urinar, necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou à noite). Na fase avançada, pode provocar dor óssea (em casos de metástases ósseas), sintomas urinários mais severos como a obstrução urinária ou, quando mais grave, infecção generalizada e/ou insuficiência renal”, esclarece o oncologista.

Um dos fatores de risco para o câncer de próstata é a idade. “A idade é um fator de risco importante para o câncer de próstata, uma vez que tanto a incidência como a mortalidade aumentam significativamente após os 50 anos”, afirma o oncologista. “Pai ou irmão com câncer de próstata antes dos 60 anos pode aumentar o risco de se ter a doença de 3 a 10 vezes comparado à população em geral, podendo refletir tanto fatores genéticos (hereditários) quanto hábitos alimentares ou estilo de vida de risco de algumas famílias”, destaca Scherr.

Por isso, uma alimentação balanceada somada a outros hábitos saudáveis contribuem para a diminuição do risco de câncer.  “Já está comprovado que uma dieta rica em frutas, verduras, legumes, grãos e cereais integrais, e com menos gordura (principalmente as de origem animal), ajuda a diminuir o risco de câncer, como também de outras doenças crônicas não-transmissíveis. Nesse sentido, outros hábitos saudáveis também são recomendados, como: fazer, no mínimo, 30 minutos diários de atividade física; manter o peso adequado à altura; diminuir o consumo de álcool e não fumar”, salienta o oncologista clínico.

Fonte: Ascom/Onco Hematos

Foto: Divulgação