Viva Bem entrevista endocrinologista sobre o Diabetes

Canal Viva Bem

No Programa Viva Bem deste sábado, 19, o entrevistado foi o endocrinologista Raimundo Sotero, que é presidente da Sociedade Brasileira de Diabetes – reg. Sergipe. Em sua entrevista ele tira algumas dúvidas sobre o diabetes, e fala sobre a VI Caminhada do Dia Mundial do Diabetes.

Confira a entrevista:

Canal Viva Bem:Falar em diabetes é um assunto importante que deve ser abordado sempre, mas as pessoas ainda não encaram tão à sério essa doença. Mas o que é o diabetes e é uma doença que realmente assusta?

Raimundo Sotero: Sim. Diabete é um problema de saúde pública. A cada 10 segundos, duas pessoas ficam com diabetes. Esse é um problema muito sério, pois nós temos 300 milhões de pessoas no mundo com diabete. Basicamente existem dois tipos de diabete, o diabete tipo 1, que atinge mais a criança, o adolescente, jovem e adulto, e que aparece de forma repentina, você dorme são e acorda diabético, geralmente decorrente de uma virose ou de uma doença auto-imune que vai ao pâncreas e acaba com o estoque de insulina da pessoa. Os principais sintomas desse tipo de diabete é urinar bastante durante a noite, perder bastante peso e se não for cuidado pode deixar a pessoa em coma ou levar à morte. Já o tipo 2 chega de vagarinho, ou seja, não acontece repentinamente. Esse tipo de diabete ocorre geralmente após os 40 anos, na fase da andropausa (no homem) e menopausa (na mulher) e que os sintomas não são específicos, ou seja, se a pessoa não procurar pelo menos a cada seis meses um médico para fazer uma avaliação clínica e laboratorial certamente não terá o diagnóstico da doença. Então a falta de sintoma não é sinal de boa saúde. O diabete também afeta a visão, mas como não é algum comum só para a doença, não dá pra identificar sem exames se a falha na visão está relacionada ao diabetes. Nossa sugestão é que todo indivíduo a partir dos 40 anos comece a fazer avaliações clínicas e laboratoriais a cada seis meses,além de um eletrocardiograma e um raio-x de tórax.

CVB:Nós sabemos que apesar da idade comum ser a partir dos 40 anos, tem muitos jovens com diabetes. Qual o motivo para isso?

RS: Numa escola, por exemplo, com 100 alunos, existe um surto de caxumba e um ou dois tem essa caxumba atacando o pâncreas e estes poderão no futuro desenvolver diabetes. Então a origem para o diabetes em crianças e jovens pode ser auto-imune, ou seja, o organismo não reconhece sua própria célula, ou uma virose, que pode ser qualquer tipo de vírus que se direcione ao pâncreas e a acabe com a produção de insulina. Isso atinge 10% da população que tem diabete, então é um número considerado alto. Aqui em Sergipe, por exemplo, temos uma população de 1,5 milhão de habitantes, 10% estão com diabete, que seria 150 mil pessoas e destes 150 mil 10% tem o diabete tipo 1, ou seja, em Sergipe estima-se que 15 mil pessoas tem diabetes tipo 1. Um fator bastante relevante é que ainda tem muitas pessoas que tem a doença e não sabem que tem, e isso é muito preocupante.

CVB:O que acontece quando uma pessoa com diabete não se cuida?

RS: O diabético que não se cuida tem complicações sérias, pois o maior número de pacientes fazendo hemodiálise com insuficiência renal são pacientes diabéticos e a maior quantidade de amputações dos membros inferiores não traumáticos são de pacientes diabéticos descompensados. E a maior quantidade de cegueira em pacientes com mais de 50 anos é também por conta do diabete descompensado, ou seja, se eu controlo o diabete, estou compensando e assim tento viver uma vida normal como tudo mundo e se o diabete fica descompensado isso pode gerar riscos maiores à saúde. Uma pessoa diabética que fuma e consome muito álcool não está se cuidando e isso pode afetar muito a sua saúde.

CVB: Com relação à alimentação, existe algum restrição de frutas por exemplo?

RS: Não. O diabético pode comer qualquer fruta, desde que seja com moderação. Na verdade o que deve chamar a atenção é que tudo demais é prejudicial. Então a orientação nutricional para o diabético é ter um controle na alimentação, comer tudo moderadamente. O segredo para o diabético viver bem é ter uma boa alimentação, fazer atividades físicas e controlar a diabete a base de medicamento ou insulina.

CVB:Com relação à VI Caminhada do Dia Mundial do Diabetes, qualquer pessoa pode participar?

RS: Sim. Esse é um movimento que acontece pela sexta vez aqui em Sergipe. Nessa sexta caminhada recebemos com prazer o presidente nacional da Sociedade Brasileira de Diabetes, Dr. Luiz Durat, que veio exclusivamente para nossa caminhada. O objetivo da caminhada, que acontece na tarde deste sábado, 19, é alertar toda a população sobre o diabetes.