Entrevista

Canal Viva Bem

O programa Viva Bem, entrevistou no Quadro Alô Doutor o médico infectologista Marco Aurélio Gois. O assunto foi a Meningite. Acompanhe algumas informações passadas durante a entrevista:

Na entrevista, o médico explicou que a meningite é uma inflamação nas meninges, membranas que envolvem e protegem o encéfalo, a medula espinhal e outras partes do sistema nervoso central. E isso é provocado quando bactérias ou vírus vence as defesas do organismo.

O médico explicou os sintomas da Meningite Viral e bacteriana, segundo ele a Viral é autoresolutiva, e geralmente tem uma melhora só com medicamentos sintomáticos, mas precisam ser examinados, pois o leigo não saberá diferenciar.

A bacteriana tem sintomas mais evidentes, muita dor de cabeça, febre muito alta, rigidez na nuca e pode aparecer manchas na pele que é característica da meningite meningococica.

Quanto a necessidade de isolamento

O isolamento depende do tipo de meningite. Como no atendimento inicial não se sabe o tipo é necessário, que o paciente fique em torno de 24 horas do uso  do antibiótico, quando é uma bactéria que se transmita de pessoa a pessoa.

Em caso de confirmação da doença, onde o paciente é tratado

A doença pode ser tratada em qualquer ambiente onde exista o antibiótico para tratá-la. Para o Sus aqui em Aracaju é o Hospital de Urgência. Mas os hospitais privados também têm condições de tratamento. O que precisa é dar o antibiótico o mais cedo possível.

O tempo para buscar a assistência médica faz diferença no tratamento

O tempo de diagnóstico está relacionado também a maior ou menor mortalidade. O  óbito ou a sequela da meningite tem vários fatores que influenciam, entre eles está a demora em se diagnosticar e iniciar o tratamento. Quanto mais cedo agir você reduz o número de óbitos. Mas existe também os fatores individuais. Por exemplo, tem pessoas que tem uma doença e o organismo tem um desenvolvimento muito exagerado, no caso da meningite, essa bactéria penetra no cérebro e na tentativa de defesa o organismo manda muita célula, muito leucócitos e produz tanto pus, abcessos  e com isso aumenta a gravidade da doença e pode levar o paciente a uma morte cerebral, é tudo associado. Tem pacientes que pode vir a óbito porque diagnosticou tardiamente e outros que com 24 horas de diagnóstico pode vir a óbito.  Depende da cepa da bactéria, tem aquelas que são mais agressivas que outras.

O importante é como diferenciar de outras. Por isso necessário que o profissional examine. Mas a febre alta e continua com dor de cabeça, alteração do nível de consciência, confusão mental, irritabilidade, mudança de comportamento. E ficar atenta a esses sinais  nas crianças.

Algumas sequelas da doença

As mais comuns são perdas auditivas, alguns distúrbio de marcha, a pessoa pode ficar pisando diferente, algumas paralisias. Com passar do tempo podem ser superadas ou diminuídas.

Tratamento no hospital e em casa

Uma etapa do tratamento é hospitalar. Nas bacterianas o tratamento completo é no hospital, quanto as virais após uma avaliação com 48 horas pode até ir pra casa com as devidas orientações.

Com relação a transmissão ela se dá pelo contato íntimo, essa bactéria não fica na superfície, em copos ou talheres por muito tempo. Deve se ter toda a higiene que se tem com relação a todas as doenças.

A meningite é uma doença contagiosa, infecciosa no período de contágio depois de tratada não oferece perigo. No domicílio deve-se manter a casa ventilada e arejada.

Vacinação

É importante lembrar que apesar de disponível, a cobertura vacinal é reduzida a cada ano e tem gerado problemas, provocando o retorno de algumas doenças que já deveriam está erradicadas.Temos vacinas para prevenir essas bactérias no calendário infantil que irá protege-las para alguns tipos de meningite.

Lavar as mãos

Um gesto que faz toda a diferença, na prevenção de muitas doenças. * Cuidados com a higiene são fundamentais na prevenção das meningites. Lave as mãos com frequência, especialmente antes das refeições; ao usar o banheiro. Ensine as crianças a praticar esse hábito.