SES regulariza pré-natal para pacientes de 75 municípios

Canal Viva Bem

Desenvolvido pelo Governo de Sergipe, a distribuição regular de kits do Programa de Proteção à Gestante (Protege) foi um dos temas abordados na reunião ordinária do Colegiado Interfederativo Estadual (CIE), realizada nesta quarta-feira, 4, no auditório da Secretaria de Estado da Saúde (SES). Os kits possibilitam a realização de exames de HIV/Aids, sífilis, hepatite B e C, e toxoplasmose.

Segundo Cliomar Alves dos Santos, gerente de imunologia e biologia molecular do Laboratório Central de Saúde Pública de Sergipe (Lacen), unidade da Fundação de Saúde Parreiras Horta (FSPH), que integra a Rede Estadual de Saúde, através do Protege são disponibilizados exames de pré-natal para as gestantes dos 75 municípios sergipanos.

“O Lacen dispõe de kits para realização desses exames e está liberando resultados em menos de uma semana. Destacamos que a disponibilização dos mesmos está acontecendo de forma regular e em longo prazo”, assegurou.

Segundo Cliomar, as amostras ficam no próprio Lacen. “São distribuídos os materiais de coleta, que é feito em papel de filtro. O sangue da paciente entra em contato com os tais materiais e, em seguida, cada município envia as amostras para o Laboratório Central, mediante sistema online, meio pelo qual também recebem os resultados”, explicou Cliomar.

Para que todo o pré-natal seja plenamente avaliado, os exames são feitos nas pacientes em dois momentos da gestação – na fase inicial, que são exames de adesão, e na fase final, denominados exames de conclusão. São contempladas as gestantes atendidas em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS) e em todas as unidades inseridas na Rede Estadual de Saúde.

Zika vírus

Outro aspecto abordado na reunião ordinária do CIE diz respeito à distribuição de kits para realização de teste rápido de triagem para Zika vírus, visto que o Ministério da Saúde enviou para todos os estados brasileiros os referidos kits para detecção do diagnóstico, sendo que os mesmos devem ser utilizados nas UBS e nas maternidades. “Está sendo feito o levantamento de quais municípios poderão receber o kit, visto que é preciso que o mesmo disponha de uma estrutura mínima, com pequeno laboratório e profissional apto a ser capacitado por profissionais do Lacen, caso ainda não seja”, afirmou o secretário executivo do Colegiado de Secretários Municipais de Saúde de Sergipe (Cosems), Salviano Mariz.

Entre outros aspectos abordados na reunião do CIE, ainda foi apresentado o cronograma de cirurgias eletivas por cada região de saúde, ressaltando quais regiões deverão assumir a realização dos tais procedimentos e quais as regiões que estarão transferindo a responsabilidade para o Estado, com devida destinação de recursos.

Fonte e foto: SES