Seminário da Fundação BB trata de geração de trabalho e renda

Canal Viva Bem


Entre 2005 e o primeiro semestre de 2008, a Fundação Banco do Brasil realizou investimentos sociais da ordem de R$ 237,8 milhões, em projetos de geração de trabalho e renda. O propósito dessas ações é promover a inclusão social por meio da inserção econômica de catadores de materiais recicláveis, quilombolas e agricultores familiares em cadeias produtivas. A ação se dá pela articulação de parcerias e incentivo a empreendimentos solidários, sustentáveis e de desenvolvimento territorial.


 


Para avaliar essas ações e produzir subsídios para a atuação no biênio 2009/2010, a entidade promoverá, entre os dias 19 e 20 de agosto, em Brasília, o II Seminário Fundação Banco do Brasil na Geração de Trabalho e Renda. O evento, que será realizado no Centro de Convenções Israel Pinheiro, entre 9h e 18h, tratará de cinco temas: comercialização da produção, financiamento e capital de giro, organização social e governança, e assistência técnica e transferência de tecnologia.


 


A abertura terá a presença do presidente da Fundação BB, Jacques Pena e do consultor especial do Instituto de Políticas Públicas Florestan Fernandes (IFF-SP), João Batista Pamplona, que realizará palestra sobre os desafios dos projetos coletivos de geração de trabalho e renda.


 


A programação do evento está dividida em palestras e mesas setoriais, norteadas por quatro eixos temáticos: avaliação de avanços e problemas nos processos de implantação e consolidação dos principais projetos de geração de trabalho e renda articulados ou implantados pela Fundação BB; troca de experiências entre a Fundação BB e parceiros; aperfeiçoamento das parcerias; identificação, nas políticas públicas federais, da existência de ações capazes de suprir os principais problemas verificados. Durante as discussões, representantes de empreendimentos econômicos e solidários vão apresentar suas experiências na área.


Entre dirigentes de cooperativas e de associações, do Banco do Brasil e representantes de parceiros governamentais, 250 pessoas de todas as regiões do Brasil confirmaram a participação.


 


Programação – Às 11h do primeiro dia (19), Luiz Eduardo Parreiras do Instituto de Pesquisas Aplicadas (Ipea) fala sobre a construção da gestão democrática e participativa. Às 14h do mesmo dia, Newton Gomes, da Universidade de Brasília, discorre sobre comercialização do produto.


 


Na quarta-feira (20), a programação terá início às 9h, com a palestra do consultor Francisco Miranda sobre “Financiamento e capital de giro’. Às 11h, os assuntos organização social e governança serão tratados pelo professor Ladislau Dowbor, da Pontifícia Universidade Católica (PUC/SP), seguido, às 14h, por Argileu Martins Silva, da Secretaria de Agricultura Familiar do Ministério do Desenvolvimento Agrário (SAF/MDA), que abordará assistência técnica e transferência de tecnologia.


 


À tarde, as mesas setoriais tratarão de desenvolvimento territorial, reaplicação de tecnologias sociais e cadeias produtivas. Cada uma terá entre três e quatro debatedores, coordenados por representantes da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae Nacional) e da Fundação Banco do Brasil, respectivamente.