Saúde mobiliza profissionais e população para diagnóstico precoce do câncer em crianças

Canal Viva Bem


O Centro de Oncologia do Hospital de Urgência de Sergipe Governador João Alves Filho (HUSE), em parceria com a Rede de Atenção Básica da Secretaria de Estado da Saúde (SES), este mês uma campanha voltada à necessidade do diagnóstico precoce do câncer em crianças. A iniciativa está inserida nas atividades desenvolvidas pela SES em comemoração ao Dia Mundial de Combate ao Câncer, lembrado na próxima terça-feira, dia 8.


A campanha quer sensibilizar os médicos que atuam no Programa Saúde da Família (PSF) de todos os municípios sergipanos a identificar os casos suspeitos de câncer em crianças e encaminhá-las com mais agilidade ao Centro de Oncologia do HUSE. Para atingir este objetivo, um novo fluxo de atendimentos vem sendo concebido de forma a facilitar o acesso das crianças ao tratamento e evitar que elas cheguem à unidade já num estado crítico da doença.


“Em alguns casos, demorava até seis meses entre o diagnóstico suspeito, o encaminhamento e a comprovação da doença até que o paciente iniciasse o tratamento”, explica Rute Andrade, gerente administrativa do Centro de Oncologia.


De acordo com ela, o acesso de crianças com suspeita de câncer ao centro será facilitado mediante a disponibilização de agendas telefônicas de contato direto com a equipe do centro, que agendará um dia específico para consulta. Esse contato poderá ser ainda efetuado tanto por familiares, como pelo serviço social da unidade de saúde em que a criança for assistida.


Além disso, um novo formulário de referência e contra-referência para encaminhamento de crianças com suspeita de câncer ao Centro está sendo elaborado. Segundo a gerente do Centro, ele permitirá um controle maior sobre todo o processo, agilizando o início e monitorando todo o tratamento.


Mobilização


De acordo com o médico oncologista do HUSE José Geraldo Bezerra, tem sido constante a chegada de crianças e adultos ao Centro de Oncologia em estado grave da doença. Para ele, este é o momento de ampliar o intercâmbio entre os médicos que atendem no interior do Estado e os especialistas que atendem na Oncologia do HUSE.


“Os profissionais que atuam nas unidades de saúde do interior do Estado precisam ficar mais atentos para os casos suspeitos de câncer, já que eles estão mais próximos da comunidade e têm diariamente à sua frente situações suspeitas para avaliar. Se não trabalharmos sobre os casos suspeitos, as pessoas continuarão a chegar aqui em situações extremas da doença”, esclarece o oncologista.


Nesta terça-feira, 8, Dia Mundial de Combate ao Câncer, a equipe do Centro de Oncologia realizará uma intervenção na sala de espera do centro, convidando todos os médicos, usuários e familiares para uma breve conversa sobre a necessidade do diagnóstico precoce do câncer para o tratamento da doença.


“O primeiro passo é suspeitar. Qualquer suspeita em relação a constantes sangramentos, pequenos nódulos, anemias, tumores, manchas e dores pelo corpo a criança deve ser encaminhada ao Centro de Oncologia para confirmação ou não da doença. Agindo sobre qualquer suspeita, reduziremos significativamente o número de crianças encaminhadas já em estado crítico”, enfatiza Geraldo Bezerra.


Treinamento


Para sensibilizar os médicos que atuam no PSF dos municípios do Estado quanto à necessidade do diagnóstico precoce do câncer em crianças, a gerência de oncologia do HUSE vem traçando junto aos técnicos da Atenção Básica da SES a elaboração de um treinamento para os médicos que atuam nas Unidades de Saúde da Família (USF) de todos os municípios sergipanos sobre o diagnóstico suspeito de câncer.


“Nós já estamos viabilizando uma data para este treinamento, entretanto precisamos esperar passar este momento emergencial que o Estado vivencia por conta da dengue, haja vista que alguns municípios sergipanos estão em situação crítica e necessitam dos médicos de PSF em tempo integral”, explica Rute Andrade, salientando que o treinamento deve ocorrer ainda este mês.


Situação


O Centro de Oncologia do HUSE notifica algo em torno de 60 a 80 novos casos de câncer em crianças por ano em Sergipe. De acordo com a gerente de oncologia do HUSE, Rute Andrade, este número pode aumentar na medida em que a assistência da rede de Atenção Básica do Estado for se expandindo e o diagnóstico precoce for priorizado.


Diariamente, cerca de 15 crianças são atendidas no centro de oncologia do HUSE, que conta com a atuação de seis pediatras. Entre os casos mais comuns registrados em crianças encontram-se as leucemias e os nódulos de todos os tipos.


Câncer


O câncer é o nome dado a um conjunto de mais de 100 doenças caracterizadas pelo crescimento descontrolado de células anormais. Elas invadem tecidos e órgãos, podendo espalhar-se para outras regiões do corpo. O comportamento das células cancerosas pode ser explicado por mutações genéticas ou secreção anormal de hormônios ou enzimas. Essas células tendem a ser muito agressivas, formando os tumores (ou acúmulo de células cancerosas) que podem ser benignos ou malignos.


Entre os médicos, fica cada vez mais claro que são raros os casos de câncer relacionados exclusivamente a fatores hereditários. Muitos já compartilham a idéia de que é forte a influência de fatores externos como o meio ambiente e hábitos cultivados no dia-a-dia, entre outros.