PREVENÇÃO

Canal Viva Bem

O teste do pezinho é um grande aliado no diagnóstico precoce de doenças metabólicas, genéticas e infecciosas que podem causar sérios distúrbios no desenvolvimento do bebê, entre eles a anemia falciforme e o hipotireoidismo. No início do mês, mais um diagnóstico foi incluído, desta vez para identificar a suspeita de uma doença conhecida como fibrose cística através do exame Imunotripsina Reativa (IRT). O teste do pezinho é obrigatório, gratuito e pode ser feito em 268 unidades de Saúde, dos quais, 41, estão na capital.

De acordo com a coordenadora estadual do Programa de Triagem Neonatal, Luciana Alves, o período ideal para a realização da coleta é de três a cinco dias de vida do bebê. O sangue coletado no pezinho da criança é encaminhado para análise no Hospital Universitário de Sergipe, Serviço de Referência de Triagem Neonatal em Sergipe (SRTN/SE). O resultado é emitido em média em 11 dias.

Em 2013, o SRTN/SE fez a triagem de 28.443 crianças. A maioria dos exames foi realizado entre três a 30 dias de vida da criança. Já a doença mais verificada, e confirmada, foi o hipotireoidismo congênito. “Em 2013 foram identificados 11 casos e acumulados no SRTN até 2013 temos 276 diagnosticados e matriculados”, explicou a coordenadora estadual.

Luciana Alves destaca que o papel da SES é coordenar a política, fazer interlocução com as redes de atenção à saúde, monitorar e acompanhar o funcionamento do programa, bem como dos casos registrados pelo SRTN/SE, garantindo as ações necessárias à triagem neonatal e ao atendimento clínico dos pacientes.

Histórico

O Programa de Triagem Neonatal do Estado de Sergipe iniciou na Rede Municipal de Saúde de Aracaju com base no Estatuto da Criança. A partir de 2001 vinculou-se ao Programa Nacional de Triagem Neonatal por meio da Portaria 822 do Ministério da Saúde na Fase I.

Essa fase oferecia a detecção das patologias de Fenilcetonúria e Hipotiroidismo Congênito. Neste mesmo ano, a portaria 451/SAS/MS de 18/10/2001 tornou o Hospital Universitário de Sergipe – HU referência de triagem neonatal em Sergipe.

Em 06 de Maio de 2013, através da Portaria 501 do Ministério da Saúde, o estado de Sergipe fica habilitado na Fase III de implantação do Programa Nacional de Triagem Neonatal, que prevê a triagem neonatal, a confirmação diagnóstica, o acompanhamento e o tratamento da fenilcetonúria, hipotireoidismo congênito, doenças falciformes e outras hemoglobinopatias e fibrose cística.

“A ação do Governo, através da Secretaria de Estado da Saúde, vem cumprindo determinações legais e garantindo a todas as crianças nascidas no Estado, independentemente de sua condição social, a realização gratuita do teste de triagem neonatal, popularmente conhecido como teste do pezinho”, destacou Luciana Alves.