Hemose estão produzindo Fator VIII para atender os hemofílicos

Canal Viva Bem


A equipe do Centro de Hemoterapia de Sergipe(Hemose) está produzindo o Crioprecipitado para substituir a falta do Fator VIII, hemoderivado fabricado no exterior, adquirido pelo Ministério da Saúde e repassado aos hemocentros de todo o país. Esse Fator é utilizado em paciente portadores de hemofilia tipo “A” que são atendidos diariamente pela equipe de hamatologistas do hemocentro. O hemocentro se adiantou neste processo de substituição, que não é apenas um problema no Hemocentro em Sergipe, e sim em todo o país.


A médica Mariamália Andrade, diretora técnica do Hemose esclarece o problema e já adianta as providências que já estão sendo tomadas junto com sua equipe. Desde a semana passada está sendo produzido o Crioprecipitado, hemocomponente que contém na sua composição do Fator de Coagulação VIII (proteína que faz o sangue coagular, é um derivado do próprio sangue) importante para o atendimento de rotina dos pacientes que são portadores da hemofilia “A”. “Estamos selecionando os doadores mais recentes que são fidelizados, para garantir maior segurança na produção deste hemocomponente, para continuar atendendo nossos hemofílicos com a mesma qualidade. Esperamos que o Ministério da Saúde resolva o mais rápido possível essa situação da suspensão desse fator tão importante para a manutenção do atendimento de rotina. Estamos comunicando a população não só de Sergipe, mas de alguns estados vizinhos como: Bahia e Alagoas, onde recebemos pacientes portadores de hemofilia que, estamos atentos e produzindo com a melhor segurança possível este fator substituto para dar continuidade ao tratamento das manifestações inerentes e estes pacientes”, completou Mariamália.


O Crioprecipitado é produzido a partir doa retirada do Plasma de doadores de sangue de qualquer fator, pode ser positivo ou negativo, em seguida passa por um processo tecnológico retirando-se deles as partes ricas em Fator VIII e Fibrinogênias, entre outros componentes do sangue. Com isso os técnicos do Hemose estão suprindo a demanda que seria atendida pelo MS.


Comunicado


O hemocentro recebeu na sexta-feira, 11/7, uma carta da Federação Brasileira de Hemofilia, através da presidente Sylvia Thomas, comunicando a suspensão pelo o Ministério da Saúde e anunciando uma possível crise de abastecimento do Fator VIII. “A fim de esclarecer aos interessados e afetados pelo problema, relato alguns fatores importantes sobre a questão. Todos nós temos acompanhado nos últimos anos a interrupção dos tratamentos regulares da hemofilia no país pela falta de abastecimento dos Fatores de Coagulação, que se alternam na sua escassez: ora falta Fator VIII, ora os produtos que fazem parte do arsenal terapêutico para essa condição hereditária que desta vez atingidos com a redação do Fator VII, que é usado por cerca de 80% dos hemofílicos”, afirmou Sylvia Thomas.


Hemofilia – É uma doença hereditária causada pela deficiência de uma proteína plasmática, denominada de fator da coagulação. A deficiência do Fator VIII é chamada de hemofilia A e a deficiência do Fator IX de hemofilia B. A doença é resultado de herança ligada aos cromos soma X, sendo transmitida quase exclusivamente a indivíduos do sexo masculino por mãe portadora, aparentemente normal. Apesar de muito raro, a hemofilia pode ocorrer em mulher.