Dieta popular pode trazer malefícios à saúde

Canal Viva Bem


Distribuídos de mão em mão por pessoas sempre com as melhores intenções, os regimes populares podem se revelar uma péssima idéia para quem deseja perder seus incômodos quilinhos. É o que adverte a chefe da Seção de Dietoterapia do Serviço de Nutrição do Incor, a nutricionista Elisabeth Cardoso. O alerta de Elisabeth tem um alvo certo: a chamada “Dieta da USP”, ou “a dieta dos 14 dias”, apresentada como indicação de nutricionistas da universidade.

Em recente circular, o Conselho Regional de Nutricionistas adverte para a pseudodieta, ressaltando sua autoria fraudulenta. A presidenta do Conselho, Dra. Beatriz Aparecida E. T. Martins, explica que esse regime não foi desenvolvida pela equipe técnica da USP, “que prima, acima de tudo, pela fundamentação científica nos trabalhos divulgados ao público em geral”. A representante do Conselho diz que essa informação serve apenas para iludir “leigos que acreditam na eficiência da dieta por ter sido divulgada como de autoria da USP”.

Os erros desse regime alimentar não param em sua autoria. A nutricionista do Incor chama atenção para seus perigos. No conceito de Elisabeth uma dieta deve ser balanceada, fornecendo todos os nutrientes necessários à manutenção da saúde do organismo: gorduras, vitaminas, proteínas, minerais, carboidratos e fibras. “Essa dieta de 14 dias é rica em gorduras e proteínas e deficiente em vitaminas e minerais”. Segundo a nutricionista, o regime não fornece nenhuma fonte de carboidrato, elemento decisivo na produção de energia pelo organismo humano, e é pobre em fibras. A ingestão de fibras, por exemplo, ajuda na digestão, na prevenção de problemas intestinais – como o câncer de intestino, e no controle do colesterol.

A adoção da dieta por longo período pode ocasionar carências múltiplas ao organismo, provocando ainda o desequilíbrio de seu metabolismo. Ela se revela particularmente perigosa para indivíduos portadores de doenças crônicas, como hipertensão, colesterol alto e problemas coronarianos, alerta Elisabeth.

Colocando como exemplo o trabalho realizado pelo Serviço de Nutrição do Incor, a nutricionista explica que qualquer dieta é resultado de um trabalho minucioso, realizado por profissional sério. A prescrição do regime deve ter como ponto de partida o indivíduo e suas necessidades nutricionais, baseadas na idade, altura, atividade física, hábitos alimentares e, principalmente, na existência de doenças associadas ao quadro de obesidade.


Fonte: InCor News