DIETA DESINTOXICANTE

Canal Viva Bem

Para amenizar os efeitos dos exageros gastronômicos no Natal, nada melhor que uma dieta “desintoxicante”, ou detox. Além de engordar, os dias de comilança e excesso de bebida podem causar dor de cabeça e de estômago, desconforto abdominal, gases e cansaço.


Uma boa dica para desinchar, se livrar do mal-estar e já se preparar para a festa de ano-novo é abusar das frutas, hortaliças, da água e dos suchás, uma mistura de sucos e chás que pode ajudar no funcionamento dos rins e do fígado e, assim, aumentar a eliminação de toxinas.


Segundo as nutricionistas Rosana Raele e Patrícia Bertolucci, o suchá é uma mescla ideal para quem não gosta de tomar chá puro, além de ser refrescante agora no verão. A versão com gengibre é um ótimo anti-inflamatório, antioxidante e ajuda na digestão. O verde, branco, de hortelã, erva-doce e capim-santo são outras boas opções. Não ultrapasse três ou quatro xícaras por dia.


Tanto o chá verde quanto o preto devem ser consumidos com moderação, pois são ricos em cafeína e dar causar insônia, agitação e irritabilidade. Além disso, cuidado com os chás “laxativos”, como o de sene, pois podem irritar a mucosa intestinal e levar à desidratação por diarreia.


Os suchás têm efeito diurético, ou seja, ajudam na desintoxicação do organismo e diminuem a retenção de líquidos. Os rins são os encarregados dessa limpeza, filtrando substâncias que não servem mais e eliminando-as pela urina. Alguns chás também auxiliam na digestão e no trânsito intestinal.


Eles contribuem, ainda, para o trabalho do fígado, que faz a remoção de compostos estranhos (xenobióticos), transformando toxinas lipossolúveis em hidrossolúveis, para que possam ser descartadas pela urina, fezes, respiração e suor.


As especialistas destacaram que esse processo de desintoxicação leva de três a quatro semanas e que, para curar a “ressaca” alimentar, não se deve fazer dietas radicais. Após os dias de fartura, é importante manter o consumo adequado de carboidratos, proteínas, verduras, frutas e gorduras.


Fonte: G1