Programa Viva Bem entrevista a quiropraxista Letícia Gitaci

Canal Viva Bem

O programa Viva Bem deste sábado, 16, apresentado por Magna Santa na Ilha FM todo sábado das 8h às 9h, entrevistou a Drª. Letícia Gitaci, quiropraxista. A Quiropraxia é uma especialidade que trata de problemas no sistema neuro-esquelético, dores na coluna lombar, pescoço, cabeça, hérnia de disco. Confira a entrevista:

Magna Santana:O que é a quiropraxia?

Drª. Letícia Gitaci: Antes de responder a essa pergunta, eu gostaria que cada pessoa fizesse uma reflexão: Qual é o centro do nosso corpo? Qual é o pilar principal que sustenta nosso corpo? A nosso coluna é a ligação principal do nosso cérebro com o nosso corpo. O nosso sistema nervoso é protegido pela nossa coluna vertebral. Por diversos motivos, seja por uma má postura até problemas mais agravados, como traumas, acidentes, pancadas, nós vamos desenvolvendo o que chamamos de subluxações, que são desalinhamentos articulares. É diferente de uma luxação, que nós ouvimos falar, por exemplo ‘ah, luxei o ombro’, um deslocamento de ombro. A subluxação é um desalinhamento pequeno, mas que ao longo do tempo vai desenvolvendo um problema muito mais complicado, porque é um problema silencioso. A quiropraxia vem justamente para que? Para diagnosticar, tratar, remover essas subluxações e prevení-las. Então, a quiropraxia é uma profissão na área da saúde que lida com todo e qualquer problema neuro-músculo-esquelético, ou seja, qualquer problema de desordem biomecânica em relação ao realinhamento do nosso corpo no sentido realmente de biomecânica, no funcionamento… Por que o nosso corpo não deixa de ser uma máquina, mas ele é uma máquina que está minunciosamente alinhado. Todas as nossas articulações, todos os nossos sistemas funcionam em plena harmonia, e a partir do momento que acontece um desalinhamento essa harmonia vai ser interrompida criando e desenvolvendo uma transmissão nervosa errada. É a partir daí que nós começamos a desenvolver diversos problemas. Existem problemas de início bem sedioso, ou seja, um tombo, uma pancada, um acidente. Mas, na verdade, a grande maioria dos problemas são ocasionados por uma má postura, atividades do dia a dia, seja desde o trabalho à atividade que a pessoa tem; a maneira que a pessoa dorme. Tudo pode acarretar o desenvolvimento de vários problemas.

MS:Quem atua nessa área da saúde tem que ser formado, tem até uma Associação Brasileira…

Drª. Letícia Gitaci:A quiropraxia no Brasil ainda é muito nova, nós temos há cerca de 20 anos alguns profissionais trabalhando aqui, inicialmente profissionais vindos de fora. Mas hoje nós já temos duas universidades que oferecem o curso aqui no Brasil. A Quiropraxia é um curso de nível superior com cinco anos de duração com toda uma base de anatomia, fisiologia para que o profissional seja apto a estar não só tratando, mas também diagnosticando esses problemas. A quiropraxia foi desenvolvida nos Estados Unidos em 1895, então lá se vão mais de 120 anos de história. No Brasil foi um pouco depois, mas já temos, hoje, cerca de 700 profissionais graduados e atuando.

MS: Quais os problemas mais comuns e que podem ser tratados pela quiropraxia?

Drª. Letícia Gitaci:A quiropraxia tem dois focos: o de tratamento e do bem preventivo. Então, a pessoa não precisa ter um problema para procurar a quiropraxia, ela pode ser iniciada como uma prevenção. Infelizmente as pessoas acabam procurando quando já existe algum problema. Entre os principais problemas está a hérnia de disco, lombalgias, dores ciáticas, dores relacionadas a região cervical, como enxaquecas, dores de cabeça, dores musculares, além de problemas mais específicos como desvios (escoliose, cifose). Então são os mais diversos problemas que tem uma boa resposta com o tratamento da quiropraxia. Além disso, nós temos bons resultados em relação à enurese noturna, a dismenorreia primária (cólica menstrual) também tem bons resultados; as dores de cabeça dos mais diversos tipos também têm um bom resultado. A grande maioria dos problemas sempre acaba tendo origem na coluna vertebral.

MS: Algumas pessoas sofrem com dores fortes na coluna. Já trocaram o colchão, mas as dores continuam incomodando.  Já foi buscado tratamento, mas sem muito resultado. O que poderia ser feito? Praticar atividade física ajuda? A quiropraxia pode curar esse problema? Como é o tratamento?

Drª. Letícia Gitaci:Muita gente me pergunta qual o melhor tipo de colchão. Hoje em dia existe uma variedade de marcas, só que muito mais importante do que o tipo de colchão é a postura que a pessoa adota para dormir. Existem posturas corretas para dormir e em todo o dia a dia existe a maneira correta para tudo, uma maneira menos prejudicial, podemos dizer assim. É difícil chegar para uma pessoa e dizer não faça mais isso, e sim dar a opção “faça desta maneira”, que acaba sendo menos prejudicial. A atividade física ajuda sim, independente de ter ou não um problema ela é indicada para toda e qualquer pessoa sempre com acompanhamento de um profissional da área para avaliar qual é o problema dessa pessoa e quais são suas limitações.

MS: Como é que acontece o tratamento para quem tem uma dor como essa ou até mesmo hérnia de disco, que é algo que muitas pessoas têm e que muitas vezes vão ao médico e tem muito medo de uma cirurgia e acabam tendo uma indicação cirúrgica? Seria possível, por meio da quiropraxia, evitar uma cirurgia?

Drª. Letícia Gitaci:Com Certeza. Na verdade hoje em dia cerca de 20% das indicações de cirurgia de Hérnia são indicações reais. Todas as outras (80%) teriam outras opções de tratamento prévio até chegar a uma cirurgia. A cirurgia é realmente o último caso, por que precisa-se pensar em toda questão que é o procedimento cirúrgico, que existe um pós-operatório que também pode ser complicado. Então quiropraxia pode ajudar.

MS: Como é que funciona?

Drª. Letícia Gitaci:Inicialmente é realizada uma consulta para uma avaliação inicial, onde é feita toda uma avaliação biomecânica (testes ortopédicos, avaliação física e postural) e a partir daí é desenvolvido o tratamento. O tratamento é por sessões, onde são realizados os ajustes quiropráticos, que são essas manobras para o realinhamento. Algumas pessoas têm um pouco de receio com os ditos “estalos” na coluna, mas diferente do que muitos pensam, é completamente indolor. A sensação em algumas pessoas já é de alívio imediato, isso vai depender do quanto crônico é esse problema. As vezes chegam e dizem que tem a dor há duas semanas, assim como outros dizem que tem a dor há 15 anos. Por isso, cada paciente é um, cada organismo é um, consequentemente, cada um responde de uma maneira. Mas, realmente, quando acontece essa melhora nós sabemos que ela é real pelo próprio organismo da pessoa, pois a medicação, na maioria das vezes, acaba sendo apenas um paliativo. Dor ninguém gosta de sentir, só que nós temos que lembrar que a dor é só um sintoma, a dor não é um problema. Normalmente o tratamento medicamentoso visa a remoção da dor, só que na maioria dos casos esse é um problema biomecânico, um problema articular que se não houver uma correção dele, logo que passar o efeito do remédio a dor vai acabar retornando. Eu gosto de fazer a analogia de que o nosso corpo é como um carro, nós vamos numa concessionária, compramos o carro zerinho funcionando perfeitamente. E o que é que acontece com o tempo? O que é que temos que fazer com esse carro?  Manutenção (balanceamento, alinhamento e tudo mais). A quiropraxia funciona mais ou menos dessa maneira. Por isso que eu gosto da questão preventiva também. Tudo é prevenção! Quanto antes nós avaliarmos os problemas, há uma chance maior de resolvê-los. Isso vale desde uma gripe a um problema mais sério. Qualquer problema que for diagnosticado o quanto antes, será resolvido o quanto antes também. Mas, realmente, a quiriopraxia, principalmente em relação a Hérnia de Disco, tem um bom resultado. Acho que até mesmo mais de 50% dos meus pacientes são de problemas de hérnia.

MS: Algumas pessoas que tem tendinite dizem que já fizeram fisioterapia, melhoraram, mas voltaram a sentir o problema. Existe a possibilidade de cura com o tratamento da quiropraxia?

Drª. Letícia Gitaci:A tendinite é uma lesão causada, na maioria das vezes, por esforço repetitivo. Por exemplo, é provável que essa pessoa trabalhe com o computador ou algum movimento repetitivo. Um dos fatores iniciais é ter o repouso, não adianta ter esse problema e continuar fazendo o mesmo movimento errado que é exatamente o nome, Lesão de Esforço Repetitivo (LER). Acaba fadigando o mesmo grupo muscular e acaba desenvolvendo esse problema. A quiropraxia ajuda sim na liberação articular dessa região, mas é muito importante a pessoa tratar de uma maneira mais séria e também o processo de reforço muscular para a região do pulso e mão. Então, depois que sair da fase aguda da dor é importante fazer um reforço muscular dessa região e a quiropraxia pode realmente ajudar.

    

MS: E no caso dos atletas de fim de semana que acabam se contundindo?

Drª. Letícia Gitaci:Depende do tipo de esporte. Alguns acabam tendo um processo de impacto, seja futebol, vôlei; assim, toda atividade física eu recomendo que tenha outra atividade física de base, que seja uma musculação ou um pilates.  Por quê? Porque a musculatura tem que estar bem preparada para a atividade física. Até mesmo a pessoa que corre dever correr da maneira correta. Então a atividade física de base, uma musculação, um funcional, ou um pilates para dar um reforço muscular mais específico. E para quem realmente pratica atividade física de uma maneira mais esporádica, é preciso ter ainda um pouquinho mais de cuidado porque fica muito mais suscetível a lesões. Então precisa ter um cuidado mais específico.

MS: Tem pessoas que acordam com dor na coluna e tomam remédio para melhorar. Isso pode ser viciante?

Drª. Letícia Gitaci:Infelizmente as pessoas iniciam com o remédio e depois de algum tempo ele já não faz mais tanto efeito e acaba, como eu digo sempre, subindo um degrau tomando alguma coisa ainda mais forte que acaba não fazendo mais efeito. Muitas vezes quem tem uma dor relacionada, logo ao acordar, tem que avaliar a posição que está dormindo. Tanto a posição, se está correta, como se ela tem um sono reconfortante (se ela está dormindo a quantidade de horas necessárias), está tendo um descanso. Às vezes, a pessoa dorme oito horas, mas não é aquele sono reconfortante, não é aquele sono que deixa a pessoa revigorada. A pessoa acorda até mais cansada do que foi dormir.  Avaliar a questão da postura que está dormindo e como está a postura do dia a dia.

MS: Qual a postura adequada para dormir?

Drª. Letícia Gitaci:Dormir preferencialmente de lado, com um travesseiro no meio dos joelhos para dar uma estabilidade na região do quadril e também um travesseiro com mais ou menos a altura do ombro para não ficar com a cabeça muito alta nem muito baixa. Ou ainda de barriga pra cima, de preferência com um travesseiro embaixo do joelho também. Eu sei que muita gente gosta de dormir de bruços, que é até uma posição confortável, mas nessa posição ocorre uma rotação do pescoço então pode ficar muitas horas nessa posição. Justamente durante o sono acontece a reidratação dos discos intervertebrais, que funcionam como amortecedores entre cada uma das vértebras. E se não acontece um repouso total da coluna e dessas articulações durante a noite, a pessoa vai estar ao longo do tempo desenvolvendo alguns problemas.    

MS: Qual o tratamento para a Escoliose?

Drª. Letícia Gitaci: É necessário fazer uma avaliação minuciosa para ver qual é o grau dessa Escoliose e se já está acometendo algum outro tipo de sistema. O maior problema da Escoliose é que toda lesão ainda inicial acaba desenvolvendo uma lesão de compensação. Então, realmente, tem a curvatura, para quem não sabe o que é Escoliose, é aquele onde a coluna vista de trás ou de frente existe uma curvatura maior. Isso acaba sobrecarregando, por exemplo, membros inferiores, as pernas, ocorre o desalinhamento de quadril, muitas vezes o desalinhamento do ombro também. Dependendo da idade do paciente, normalmente até os 21 anos quando está em processo de crescimento ainda, pode ainda conseguir alguma diminuição de grau. A partir disso, como a pessoa já desenvolveu sua formação, o nosso grande foco é estabilizar esse problema e impedir que ele aumente, porque na maioria das vezes, os problemas de Escoliose são progressivos. A inserção da atividade física para dar um suporte para a região muscular é muito importante também, pois nós estamos desenvolvidos de dois sistemas básicos: o articular e o muscular. Se a gente já sabe que o articular está com um certo déficit, nós temos que reforçar a musculatura para ajudar a ter um suporte para esse organismo. Se a pessoa puder controlar o peso é muito interessante, porque qualquer sobrepeso acaba sobrecarregando ainda mais. A quiropraxia pode sim ajudar, mas é preciso cuidar da postura, inserção de atividade física porque pode ser um problema progressivo.