Previna-se contra as queimaduras no São João

Canal Viva Bem


Com a chegada dos festejos juninos, aumentam os casos de queimaduras em todo o Estado. Somente em junho, o número de pessoas atendidas no Setor de Queimados do Hospital de Urgência de Sergipe (Huse) triplica em relação aos outros meses. No ano passado, quase 30% dos casos de queimaduras atendidos no hospital foram somente no mês de junho – 145 das 540 ocorrências do ano. Em Sergipe, 40% das queimaduras ocorrem em crianças, com maior incidência na faixa etária de zero a dois anos.


 


Para auxiliar a população na prevenção de acidentes e tomada dos primeiros cuidados em caso de queimaduras, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) preparou o informe abaixo. O material explica em detalhes o que é e quais os graus de uma queimadura, o que fazer e o que não fazer diante de pacientes queimados, para onde encaminhá-los e como prevenir acidentes com fogos de artifício.


 


O QUE SÃO QUEIMADURAS?


São lesões térmicas causadas pela ação de um agente físico (calor ou frio) sobre a superfície da pele. A pele é o maior órgão do corpo humano e sua destruição pode levar a alterações locais e sistêmicas, estas últimas causadas pelo comprometimento de outros órgãos, o que geralmente ocorre após uma queimadura. São classificadas de acordo com a profundidade da lesão cutânea e a extensão corporal atingida. Quanto maior a extensão da superfície corporal queimada e a profundidade da lesão, maior a gravidade.


 


CLASSIFICAÇÃO


Primeiro grau – quando apenas a camada superficial da pele (epiderme) é atingida. O sinal característico é a presença de vermelhidão da pele e ardor como ocorre na queimadura solar.


 


Segundo grau – quando, além da camada superficial, a camada intermediária da pele (derme) é atingida. Os sinais característicos são a presença de bolhas, dor e a perda de líquido pela área queimada. Também apresentam uma cor rósea após a rotura da bolha. São classificadas em superficial, quando apenas a camada superficial da derme é atingida, e profunda, quando além da camada superficial da derme a camada profunda também é atingida, podendo essa última transformar-se em queimadura do terceiro grau.


 


Terceiro grau – quando, além da derme, o tecido celular subcutâneo (camada profunda da pele) é atingido. O sinal característico é a ausência de dor na área queimada, a formação de uma crosta seca e branca e a facilidade de extrair os pêlos.


 


PRINCIPAIS AGENTES CAUSADORES


– Substâncias inflamáveis: álcool, gasolina, solventes, gás de cozinha


– Fogos de artifício explosivos e não explosivos


 


COMO PREVENIR


– Não deixe ao alcance das crianças substâncias inflamáveis utilizadas para limpeza no lar, como o álcool. Guarde-as em local bastante seguro. Por produzirem chama quando em combustão, essas substâncias servem de atrativo para as crianças, especialmente na época dos festejos juninos;


– Não dê fogos de artifício às criança, principalmente do tipo explosivo. Além das queimaduras, eles causam lesões graves nas mãos, nem sempre são passíveis de recuperação;


 


 


PARA ONDE ENCAMINHAR O PACIENTE QUEIMADO


– HOSPITAL DE URGÊNCIA DE SERGIPE GOV. JOÃO ALVES FILHO – UNIDADE DE TRATAMENTO DE QUEIMADOS (UTQ) E UNIDADE DE TRAUMA


Av Tancredo Neves s/n – Aracaju – SE


Fone : (079) 3216-2600


 


DISK – QUEIMADOS: (79) 3216-2856


SAMU SERGIPE: 192


 


O QUE NÃO FAZER


– Nunca coloque sobre a área queimada alimentos como leite, manteiga, óleo de comida, cebola, clara de ovo, etc;


– Nunca aplique pomadas sobre a área queimada sem orientação médica;


– Não tente tratar o paciente sem ter o conhecimento médico científico necessário para a cura da lesão.


 


COMO AGIR


 


Se a queimadura for causada por substância inflamável (álcool, gasolina, thinner, etc):


– Apagar a chama com um pano limpo úmido (de preferência);


– Esfriar a lesão com água gelada ou corrente;


– Proteger a área queimada com um pano limpo;


– Não alimentar o paciente;


– Encaminhar imediatamente o paciente a um serviço de urgência para a devida avaliação pela equipe médica e tratamento pela cirurgia plástica.


 


Se a queimadura for causada por fogos de artifício:


1. Explosivos:


Além da queimadura, existe nesse tipo de trauma a laceração e a perda de tecidos associados à lesão. É bastante comum nesse tipo de trauma a amputação dos dedos e até da mão, e a lesão das estruturas ósseas, ligamentares e do aparelho flexor e extensor dos dedos, associado a hemorragia causada pelo trauma.


– Proteger a área queimada com um pano limpo


– Caso haja lesão da mão ou dos dedos, elevar o braço para diminuir a hemorragia


– Encaminhar o paciente para um serviço de urgência (hospital)


 


2. Não Explosivos:


– Esfriar a área queimada com água gelada ou corrente;


– Proteger a lesão com um pano limpo;


– Encaminhar o paciente para um serviço de urgência (hospital);


 


 


* Todas as informações acima foram disponibilizadas e organizadas pelo médico Reginaldo Lessa, gerente da Unidade de Tratamento de Queimados e coordenador do Serviço de Cirurgia Plástica do Hospital de Urgência de Sergipe Governador João Alves Filho (UTQ-HUSE). Elas estão mais detalhadas no site: www.ses.se.gov.br