Banco de Leite dispõe de veículo para coleta de doações

Canal Viva Bem

O Governo de Sergipe, através da Secretaria de Estado da Saúde (SES), vem adotando ações que pretendem dar maior impulso aos serviços assistenciais em Sergipe. Com a chegada das novas ambulâncias destinadas ao transporte inter-hospitalar de pacientes, aos trabalhos de logística e de realização de exames, o Banco de Leite Humano (BLH) Marly Sarney também passou a utilizar veículo próprio para realizar a coleta de doações feitas em domicílio, por voluntárias cadastradas na instituição. Uma ação inédita que já tem produzido bons resultados.

Segundo a gerente do BLH, Crislaine Lima, a novidade ampliou sobremaneira a capacidade de envio de profissional apto a realizar coletas nas residências de mulheres que possuem reais condições de doar leite humano. “Dispomos de 13 doadoras distribuídas em toda a capital sergipana e condições plenas de irmos em busca do leite, que contemplará bebês de alto risco e prematuros nascidos na Maternidade Nossa Senhora de Lourdes [MNSL], unidade essa que também é gerenciada pela SES. Estamos aptos, inclusive, a receber novas voluntárias capazes e dispostas a realizar cadastro no BLH para, assim, favorecer bebês que necessitem desse tão importante alimento”, enfatizou Crislaine.

Além das doações feitas em domicílio, o BLH Marly Sarney, que é referência estadual neste serviço, ainda recebe leite humano proveniente do posto de coleta localizado na própria maternidade. Toda essa dinâmica de serviços na área da saúde precisa do apoio de mulheres solidárias que tenham leite em excesso, ou seja, que possuam, em primeira instância, o suficiente para amamentar seus próprios bebês e para doar. Dessa forma, o BLH compreende os trabalhos de captação e doação que abraçam mães provenientes de todo o Estado, considerando que quando mulheres se dispõem a doar, elas precisam estar amamentando, não estar ingerindo bebida alcoólica ou medicação que prejudique a amamentação.

Em domicílio

Ao chegar até as residências das mães já aptas a doarem leite humano, conforme capacidade das mesmas e avaliação do pré-natal, profissionais do BLH oferecem orientações sobre aleitamento, no sentido de estimular cada vez mais a prática, e recipientes esterilizados para retirar o leite humano (ordenhar). A instituição se responsabiliza pela coleta do leite, e a periodicidade das doações depende da quantidade disponível nas doadoras. Caso não tenham como ir até o Banco de Leite, as possíveis doadoras podem solicitar visitas de profissionais em domicílio para efetivação do cadastro. As parturientes que não passaram pela MNSL e que desejam doar também podem solicitar visitas domiciliares, tanto para efetivação de cadastro quanto para doação de leite humano, se aptas, desde que também não haja condições de locomoção dessa doadora.

O BLH possui infraestrutura que compreende Sala de Recepção; Sala de Ambulatório, onde são realizadas as consultas pediátricas; Sala de Manejo para colhimento, avaliação e manejo; Sala de Coleta de Leite Humano, onde são recebidas as doações provenientes da MNSL e externas (de outras mães); Sala de Processamento de Leite Humano, onde acontece a pasteurização; Sala de Esterilização de Material, entre eles, copos e vidrarias; Sala de Gerência e Administrativa. Com a equipe multidisciplinar especializada, o BLH funciona com atuação de 27 profissionais que permanecem à disposição para acolher as mulheres que recorrem à unidade, inclusive esclarecendo possíveis dúvidas sobre aleitamento materno, no sentido de auxiliá-las na resolução de problemáticas comuns, ora surgidas durante o processo da amamentação.

Provisoriamente, o BLH está localizado na Avenida Tancredo Neves, s/n, bairro Capucho, no prédio onde funciona o Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher (Caism). Os atendimentos na instituição são realizados de segunda a sexta-feira, das 7h às 19h. Para obter outras informações sobre os serviços prestados no Banco, basta entrar em contato pelo (79) 3218 9424.

Fonte e foto: SES