Entrevista com Cynthia Coelho Odontóloga

Canal Viva Bem

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), aproximadamente 40% da população mundial sofre de Halitose, um problema de saúde com consequências sociais, econômicas, morais e psicoativas muito sérias. E este foi o assunto do Programa Viva Bem deste domingo, 04, com a odontóloga Cynthia Coelho. O programa é apresentado por Magna Santana e vai ao ar sempre a partir das 7h, na FAN FM 99,7.

Confira a entrevista:

Magna Santana: A Halitose é um problema que causa mau hálito e às vezes a pessoa nem percebe que tem esse problema. Isso pode ser considerada uma doença?

Cynthia Coelho: A halitose não é necessariamente  uma doença, é um desequilíbrio no organismo. Mostra que alguma coisa no seu organismo está errado e que faz com que a pessoa exale um cheiro desagradável da boca ou às vezes do nariz também. Pequenos hábitos do dia a dia ou um tratamento pode dá fim ao mau hálito.

MS: Quem tem mau hálito é por conta da falta de higiene ou porque tem algum outro problema?

CC: A questão maior que eu identifico é o constrangimento que o mau hálito traz pelo fato de que muitas pessoa veem a halitose com falta de higienização oral ou uma higienização ruim. Tem algumas pessoas quando percebem que tem mau hálito começa a usar mais o fio dental, escova os dentes mais vezes por dia, higienizar a língua de forma correta e isso tudo é essencial, mas ainda assim o mau hálito continua. Então é bom deixar claro que é preciso tirar esse mito de que o mau hálito está associado somente a forma de higienização. Pode ser um motivo de desequilíbrio no organismo da pessoa e naquele momento ela pode está com halitose.

MS: Outra coisa que chama atenção é que os portadores da halitose não percebem e isso gera um constrangimento até de quem está ao lado da pessoa.

CC: Isso mesmo. Muitas pessoas com halitose realmente não percebem o mau cheiro, apenas sentem um gosto ruim na cavidade oral, sente que tem alguma coisa errada no gosto da boca. Destaco que gosto e cheiro são coisas diferentes, não quer dizer que a pessoa com um gosto diferente na boca vai está manifestando halitose. A percepção dela talvez esteja errada, no lugar da halitose ela pode ter é disgeusia, que é alteração do paladar, que é outro desequilíbrio. Então não pode confundir cheiro com gosto. Mas existem aquelas pessoas que realmente tem halitose e não sabe, quem mais se constrange com isso é que estão próximo a pessoa, sente o cheiro mas fica com vergonha de falar. Então, nesse caso, as pessoas que vão alertar sobre esse problema são os familiares, alguém mais próximo a essa pessoa que tem o problema. É a mesma coisa de usar um perfume e acostumar com esse cheiro e só outra pessoa sente o cheiro, da mesma forma acontece com o mau hálito, a pessoa já está acostumada com aquele cheiro e não sabe. Então os familiares precisam alertar essas pessoas para buscar tratamento. Algumas mudanças é a troca da pasta de dente, do enxaguante bucal, etc.